Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT
Anúncio 01

Últimas Notícias

Na manhã desta sexta-feira (19), a equipe da Junta Militar do municipio de Juruena realizou no Plenario de Câmara de  Vereadores, a solenidade do juramento à bandeira e entrega do CDI (Certificado de Dispensa de Incorporação) para os jovens dispensados do serviço militar obrigatório.

Na cerimônia, os participantes realizaram o juramento solene perante a Bandeira do Brasil e entoaram o Hino Nacional.

A entrega simbólica do CDI foi realizada pela prefeita Sandra Josy Lopes de Sousa,  3º Sargento PM Santana. e os vereadores, Francisco Backes e Darci Viera Lopes.

Fonte e Fotos DN Noticias












 








 















Acrimat realizará palestra sobre melhoramento genético de touros na 26ª exposição de Juruena
  O diretor técnico da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Francisco de Sales Manzi, ministrará a palestra “Da cria ao abate: Mais carne, mais lucro”, neste domingo (21), durante a 26ª Expojur, realizada em Juruena. “Nosso objetivo é levar conhecimento aos pecuaristas, e em retorno temos a oportunidade de levantar a demanda de cada região, de conhecer melhor as necessidades de nossos pecuaristas”, destaca Manzi.
  A palestra visa esclarecer o público em geral, mas mais especificamente para aqueles que buscam adquirir touros ou realizar o melhoramento genético dos que já possui, sobre temas como componentes do sistema de produção, estratégias de melhoramento, raça melhor adaptada, touros geneticamente superiores e assunto correlacionados.
  Além disso, atende uma demanda de mercado, pois a pecuária nacional vive uma era de valorização de resultados rápidos e a tecnologia de melhoramento genético vem otimizando os trabalhos no campo, tornando-o cada vez mais exigente, com foco na precisão e lucratividade.
  “Quem planeja a compra de touros acaba por levantar questões como o que levar em conta nos sistemas de produção; cria e recria; engorda a pasto; suplementação a pasto; terminação em confinamento; precoce, superprecoce... para assim ter conhecimento e, no final, obter o que todos desejam: carne de qualidade”, explica o diretor técnico da Acrimat.
  A abordagem de assuntos como valor genético; masculinidade e libido; funcionalidade e aprumos; capacidade fecundante; características raciais; harmonia e conformação frigorífica também serão levados à palestra. “Falamos desde como obter sucesso na produção e aquisição de touros, passando pela avaliação genética mais avaliação zootécnica, funcional e reprodutiva; até onde e como comprar os animais; mostramos um painel bem completo ao público que tenha interesse”, acresce Francisco Manzi.
  A avaliação do impacto econômico de touros melhoradores, o valor do animal ao abate (recria e engorda) e a reposição de fêmeas/reprodutores são outros temas essenciais para quem quiser saber um pouco mais sobre a cria de touros e o melhoramento genético do animal.
  O evento, realizado pelo Sindicato Rural do município, Sistema Famato e Acrimat, conta com apoio da Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores de Juruena.
Serviço
O que: Palestra “Da cria ao abate: Mais carne, mais lucro”.
Quando: Domingo (21/07)

Onde: Parque de Exposições de Juruena. 

Fonte: DN Notícias com Assessoria 

Foi publicada nesta sexta-feira (19) a lei que regulamenta a elaboração de queijos artesanais (Lei 13860/19), uma antiga reivindicação dos produtores brasileiros. A nova norma teve como origem um projeto apresentado pelos deputados Zé Silva (Solidariedade-MG) e Alceu Moreira (MDB-RS).
Reprodução/TV Câmara
Agropecuária - geral - alimentos queijo artesanal produtores rurais agropecuária laticínios leite fazendas
Elaboração de queijo artesanal a partir de leite cru será restrita a estabelecimentos livres de tuberculose e brucelose
A lei determina que a elaboração de queijos artesanais a partir de leite cru será restrita a queijarias situadas em estabelecimentos rurais certificados como livres de tuberculose e brucelose. A propriedade deverá controlar a qualidade da água, implantar programa de boas práticas agropecuárias na produção leiteira e a rastreabilidade de produtos.

A nova norma define queijo artesanal como aquele elaborado por métodos tradicionais, com vinculação e valorização territorial, regional ou cultural, conforme protocolo de elaboração específico estabelecido para cada tipo e variedade, e com emprego de boas práticas agropecuárias e de fabricação.

O presidente Jair Bolsonaro vetou os dispositivos que detalhavam este conceito e as condições para ser considerado produtor. Segundo o Ministério da Agricultura, que recomendou o veto, as regras poderiam gerar insegurança jurídica “em razão de potencial conflito com legislações estaduais e regulamentos já existentes”.

Comercialização
Ao todo, a lei recebeu oito vetos. Bolsonaro também excluiu da lei o artigo que permitia a comercialização do queijo artesanal em todo o território nacional e no exterior, desde que cumpridas as exigências da lei e do país importador. O argumento foi de que, ao tratar de comércio interestadual e internacional, o dispositivo “gera insegurança jurídica em razão de potencial conflito com legislações já existentes na esfera federal”.

Também foram vetados os dispositivos que obrigavam o governo a estabelecer protocolo de elaboração para cada tipo de queijo artesanal, os protocolos sanitários de produção e um cadastro eletrônico de cadastro dos produtores verificados e licenciados. O presidente alegou que os artigos vetados invadem a competência privativa do governo. A reprodução das notícias é autorizada desde 
que contenha a assinatura '


Fonte: Agência Câmara Notícias' 

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.