Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Imagem:Reprodução 

VINÍCIUS LEMOS 

 O ex-deputado estadual José Riva defende que seja feita uma acareação entre ele e o ex-deputado estadual Humberto Bosaipo sobre as fraudes que foram praticadas no Estado, durante o período em que eles exerceram cargos na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT).

Na tarde da última sexta-feira (24), Riva prestou depoimento à juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital, sobre as várias ações criminais que responde em decorrência da “Operação Arca de Noé”. Humberto Bosaipo também é réu na operação.Os ex-deputados são acusados de desviarem recursos da Assembleia Legislativa utilizando as factorings de João Arcanjo Ribeiro. De acordo com o Ministério Público Estadual, eles desviaram até R$ 500 milhões, em valores atualizados.

O suposto esquema funcionaria por meio de uma simulação de gastos com empresas de fachada para desvio de dinheiro público. Logo após prestar depoimento à juíza Selma Arruda e confessar crimes praticados durante o período em que esteve na presidência da AL-MT, Riva disse que deveria ser feita uma acareação entre ele e Bosaipo, que nunca confessou ter praticado crimes contra os cofres públicos, para que as práticas ilegais sejam esclarecidas. “Se houver uma acareação, estou disponível. Eu disse que seria importante para tirar qualquer dúvida, mas a juíza achou que não deve fazer e eu respeito a decisão dela”, declarou.

José Riva garantiu que não disse nenhuma mentira à juíza durante o depoimento na tarde desta sexta-feira. "Eu tenho o compromisso de não falar mentira aqui, somente a verdade. Cada um carrega a sua carga, entre a dúvida, prefiro que eu carregue. Mas eu tenho uma dívida com a minha consciência e com Deus e não vou vir aqui mentir, então o que disse é o que realmente ocorreu", assegurou.

O ex-presidente da Assembleia informou que não citou nomes que estavam envolvidos nos esquemas fraudulentos por não ter certeza se tais pessoas participaram dos crimes. "Eu encontrei um passivo que se arrastava e foi sendo pago ao longo do tempo. Não citei que tinha fulano ou beltrano. Vim aqui falar aquilo que tenho convicção. Não vou falar uma coisa que tenha dúvida, não vou imputar nada a ninguém se não tiver absoluta certeza”, enfatizou.

Riva destacou que continuará falando somente a verdade em todos os depoimentos que conceder à Justiça. "Na medida em que você adota uma postura de assumir, tem obrigação de citar as pessoas que praticaram determinados delitos. Então, pontualmente tenho feito isso nos processos”, finalizou.
Fonte: Folhamax
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.