Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT


É sangue no olho, tapa na orelha, é o jogo da vida e o Corinthians não é brincadeira”. Esse foi o mantra entoado pela torcida corintiana desde o clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista, e que parece acompanhar o time dentro de campo nos jogos mais difíceis. Em uma atuação segura após alguns sustos no primeiro tempo, o Timão conseguiu dominar a Universidad do Chile após abrir o placar e abriu sua participação na Copa Sul-Americana com um importante 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no estádio de Itaquera.

Com o resultado, construído com um gol de Rodriguinho, no primeiro tempo, e outro de Jadson, no segundo, os comandados de Fábio Carille podem até perder por um gol de diferença no duelo de volta, no estádio Nacional, em Santiago, no Chile, que está marcado para o dia 10 de maio. Caso consigam marcar um gol na casa do adversário, os paulistas só serão eliminados se os adversários abrirem três gols de diferença.

Até lá, porém, os alvinegros terão o confronto contra o Botafogo-SP, pela volta das quartas de final do Campeonato Paulista, no domingo, também em Itaquera, além dos dois jogos diante do Internacional, válidos pela quarta fase da Copa do Brasil, marcados para os dias 12 e 19 deste mês.

Sem a bola, Corinthians marca do seu jeito

O primeiro tempo da partida pouco teve de pressão corintiana diante dos chilenos, algo que costuma marcar os jogos da equipe em Itaquera. Diante de um rival que valorizou a posse de bola a todo momento e não deu nem sequer um lançamento longo para o seu centroavante, o Timão até tentou adiantar a marcação, mas viu os visitantes saírem tocando sem maiores dificuldades da sua defesa.

O domínio territorial foi tanto da Universidad que as duas primeiras chances ficaram a cargo dos forasteiros, ambas antes dos primeiros 15 minutos de bola rolando. A primeira veio quando Lorenzetti recebeu com liberdade no lado esquerdo e acionou Ubilla. O ponta bateu de primeira e viu Cássio agarrar a bola. Na sequência, o centroavante Mora recebeu como pivô, girou e bateu no canto, exigindo outra boa intervenção do arqueiro.

Depois das duas oportunidades, no entanto, o jogo caiu de produção e passou a ter os chilenos trocando passe na defesa e o Timão perdendo rapidamente a bola nas poucas vezes em que invadia o campo adversário. Pouco antes do intervalo, porém, Jô conseguiu dominar e iniciar uma jogada que rodou a área rival até Romero ajeitar de cabeça para Gabriel soltar chute forte da entrada da área. Herrera fez ótima defesa e ainda levantou-se para espalmar a tentativa de Arana no rebote. Para seu azar, na sequência, Rodriguinho só empurrou para o gol vazio e abriu o placar.

Timão melhora e constrói boa vantagem

No segundo tempo, o Corinthians melhorou de produção, trocando passes entre os seus armadores e sendo bastante ajudado pelo cansaço que acometeu os chilenos devido ao ritmo intenso de jogo imposto na etapa inicial. Com mais espaço para trabalhar a bola e com Jô ganhar quase todas pelo alto, o Timão passou a ficar mais no campo de ataque, aliviando a pressão nos seus defensores.

Com mais espaço, coube aos jogadores mais técnicos do Alvinegro fazer a diferença. Em mais uma falta sofrida por Jô no meio-campo, Jadson, até então pouco produtivo em campo, levantou a bola na área. O próprio Jô ganhou pelo alto e mandou na marca do pênalti. Rodriguinho foi mais rápido que Pizarro, ganhou a dividida e a redonda ficou para Jadson chutar forte, rasteiro, no canto esquerdo, sem chances para Herrera, aos 24 minutos.

A vantagem deu mais tranquilidade ainda para o Corinthians, que passou a ter muito espaço para o contra-ataque. Logo na sequência, Jadson deu lindo lançamento para Jô, que conduziu desde o meio-campo, ganhou do marcador e chutou cruzado, parando em boa defesa de Johnny Herrera. Percebendo esse espaço, Carille mandou a campo os jovens e rápidos Clayton e Pedrinho.

O primeiro, por sinal, quase ampliou ainda mais o triunfo corintiano. Em boa jogada de Jô, pela direita, o centroavante percebeu a movimentação do companheiro e abriu na esquerda. A bola ficou na dividida com Rodríguez, mas Clayton ganhou a disputa e colocou na frente. A zaga fechou nele, ele tocou para Maycon e recebeu de volta. Livre na área, o avante bateu cruzado e viu Herrera salvar seu primeiro gol com a camisa corintiana.

Fonte: Gazeta Esportiva (foto: Gazeta Press/arquivo) 

Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.