Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT




Após 15 dias ser eleito novo presidente da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), Aron Dresch, recebeu a primeira ligação da cúpula da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Na última quinta-feira, o secretário geral da entidade Walter Feldman ligou para Dresch para parabenizá-lo pela vitória de 22 votos contra 15 do atual mandatário João Carlos Oliveira.

Desde da tumultuada eleição para a nova diretoria, o ex-presidente do Cuiabá Esporte Clube não havia sido procurado por nenhum diretor da CBF, entidade que comanda o futebol brasileiro. “A CBF nos procurou na pessoa do Walter Feldman. Nos parabenizou pela vitória. Contudo, foi bem claro quanto a eleição na FMF. Se manterá neutra, alheia ao todo processo. Vai assistir de camarote”, disse Aron Dresch, que reclama da falta de diálogo por parte de João Carlos em não querer dar início ao processo de transição.

Efetivado no cargo desde início do ano passado com a renúncia de Carlos Orione, falecido no fim do ano passado, João Carlos terá que deixar o cargo no próximo dia 26 de maio, quando expira o atual mandato. No entanto, Dresch prefere ser cauteloso, já que seu adversário ainda não reconhece sua vitória.

“Até hoje o João Carlos não reconhece a minha vitória. Desconfio que ele não quer deixar o cargo. Está muito quieto e nem tomou a iniciativa de falar sobre a transição”, queixa o dirigente, que contou com voto da maioria dos clubes da Primeira e Segunda Divisões e de presidentes de ligas municipais. “Vamos aguardar o término do mandato para iniciarmos o nosso trabalho”.

Com o discurso de transparência e de renovação na FMF, Aron Dresch reafirmou que sua primeira medida é abrir uma profunda auditoria nas finanças da entidade, que por muito tempo foi presidida por Carlos Orione. Para ele, se faz necessário e de suma importância saber a fundo o que entra e sai de recursos do cofre da federação.

Procurado pela reportagem, João Carlos Oliveira prefere não comentar o resultado da eleição do último dia 16 de março. Ele deixou bem claro que há uma ação que questiona a vitória de Aron, já que a chapa da oposição havia sido impugnada pela Comissão Eleitoral presidida por Pedro Verão.

Fonte: A Gazeta (foto: Kamila Martins/arquivo)

Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.