Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

André Souza, G1 MT

 

Em 2017, o Conselho Regional de Medicina em Mato Grosso (CRM-MT) recebeu denúncias contra 88 médicos por erro ou suposta falta de ética em todo o estado. A informação é da presidente do órgão, Maria de Fátima de Carvalho Ferreira. Segundo ela, os casos denunciados são analisados por uma sindicância que analisa provas e colhe depoimentos das pessoas envolvidas. Em média, 20 casos já foram julgados até o mês de maio.Recentemente, o médico Jarbes Balieiro Damasceno foi denunciado pelo pai de um bebê que morreu cinco dias do parto. O pai da criança, Roni William Cuiabano do Couto, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Cáceres, a 220 km de Cuiabá, contra o profissional. A mulher dele, Rosa Maria Martins Pires, de 27 anos, disse que o médico agiu com grosseria e a ofendeu durante o procedimento.As denúncias, segundo o CRM-MT, são sempre feitas nas subseções onde fato aconteceu. O relato pode ser feito pessoalmente ou através de órgãos como o Ministério Público Estadual (MPE). No primeiro caso, a própria vítima apresenta provas contra o profissional.O primeiro passo é a abertura de uma sindicância para a coleta de provas e oitivas, quando as testemunhas prestam depoimento. Um conselheiro fica responsável por analisar os documentos e emitir um parecer sobre o caso. A partir daí, a denúncia pode tramitar por meio de uma câmara ética ou em um processo.

De acordo com o CRM-MT, 20 denúncias, em média, foram julgadas pelo órgão. A maior parte dos profissionais envolvidos foram absolvidos. Para a presidente do órgão, o número de casos investigados está dentro da média dos outros conselhos espalhados pelo país. “Tendo em vista o número de médicos que nós temos, o número de denúncias é aceitável. Vale lembrar, que às vezes não há um erro, mas uma falta de conversa e entendimento entre o paciente e o médico”, afirmou.

 



Fonte: G1MT
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.