Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A pesar de não exercer cargo eletivo desde 2014, o ex-senador Jayme Campos (DEM) deve desempenhar papel importante na viabilização da reeleição do governador Pedro Taques (PSDB). Tanto que chegou a ser sondado por interlocutores do tucano sobre a possibilidade de aceitar o cargo de vice na chapa que será construída para 2018.
Um deles foi o presidente da Assembleia Eduardo Botelho (PSB). Amigo íntimo de Jayme, o parlamentar prepara sua migração para o DEM, juntamente com quadros do PSB como os deputados federais Fabio Garcia, Adilton Sachetti e o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, por divergências com a direção nacional do PSB.
jaymecampos_pedrotaques
Jayme Campos é "sondado"  para ser vice em chapa de Pedro Taques
Jayme, que foi governador no início da década de 90, não descartou totalmente a possibilidade de encarar a disputa a vice. O democrata também é lembrado para concorrer ao Senado ou até mesmo para voltar ao Palácio Paiaguás.
No entanto, Jayme afirmou que ainda é prematura a discussão sobre as eleições. Aconselhou Taques a se entender com o vice Carlos Fávaro (PSD) com quem está com as relações estremecidas e citou Mauro e Fabio como boas alternativas do DEM para a chapa majoritária.
Sempre lembrado para sucessão de Taques, Mauro já descartou concorrer ao Governo do Estado. Toparia enfrentar a disputa ao Senado se conseguir contornar a crise financeira que afeta suas empresas até o período eleitoral. Já Fabio sequer comenta a possibilidade de ser candidato majoritário.
A sondagem foi a continuidade da conversa que tiveram na última terça (15), na residência de Jayme, no bairro Água Limpa, em Várzea Grande. Taques, Botelho e outros dirigentes do grupo político foram até o democrata para ouvir suas opiniões acerca do cenário para as eleições do ano que vem.
Taques ouviu de Jayme que mais do que consultar os partidos aliados e seus pretensos candidatos, precisa prestar atenção no que pensa o eleitorado. Depois o democrata defendeu a necessidade de construir uma hegemonia que agregue os principais líderes do Estado, incluindo o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), que pode ser o fiel da balança na consolidação do projeto da reeleição.
Além disso, Jayme alertou que o desafio de Taques é construir a unidade do grupo que o sustenta sem perder força política. Em caso de desagregação, o democrata prevê risco para a reeleição que ainda é considerada tranqüila.
Conversações
O ex-senador também conversou com Fávaro, que esteve em Várzea Grande na última sexta (18), representando o Executivo na entrega de obras do PAC na região do Parque dos Lagos. Disse que é parceiro, inclusive para ajudá-lo a permanecer como vice-governador na chapa de Taques.
Ainda na sexta, aproveitou a presença do deputado federal Nilson Leitão (PSDB) para dizer que poderia apoiá-lo ao Senado. A declaração foi considerada como gentileza já que tanto Jayme quanto o tucano sabem da dificuldade de viabilizar dias candidaturas majoritárias do mesmo partido.
Fonte: RD News
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.