Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Mato Grosso registra 40 focos de incêndios por dia
Levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE), apontam que de janeiro a 14 de agosto deste ano já foram registrados 9.738 focos de incêndio em Mato Grosso. O Estado registra uma média de 40 focos por dia e é o segundo com maiores registros, ficando atrás apenas do Pará que teve mais de 10 mil focos.  O levantamento pode ser acompanhado em tempo real no Programa de Monitoramento de Queimadas do INPE. Com maior número de focos está o Pará com 10.640, seguido de Mato Grosso e depois Tocantins com 5.860 focos.
Apesar de apresentar uma redução de 28% nos focos em comparação com mesmo período de 2016 quando foram registrados 13.589 focos, os dados de Mato Grosso merecem cuidados. Apesar de ontem completar um mês do período proibitivo de queimadas, os focos vêm aumentado nos últimos dias.  Os dados do INPE mostram que Aripuanã (948 quilômetros de Cuiabá) e Colniza (1.114 quilômetros de Cuiabá) aparecem entre os dez municípios com mais focos acumulados nos últimos cinco dias, ocupando a sétima e oitava posição respectivamente com mais focos. Somente no dia 14 foram 38 focos em Colniza, aumento de 850% ao dia anterior quando foram apenas quatro. Já Aripuanã teve 44 registros de focos de incêndio no dia 14. 
O INPE aponta ainda que dois focos de incêndio foram registrados na unidade de conservação estadual Resex Guariba Rooselvet (localizada entre os municípios de Colniza e Aripuanã). Terras indígenas também registraram focos como Maraiwatsede com 12, TI Aripuanã com cinco, TI Parque do Xingu com quatro, entre outras.  Reforço - O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) anunciou que deve contratar temporariamente, até setembro, 886 brigadistas florestais – 666 atuarão no combate a incêndios florestais, 138 serão chefes de esquadrão, 56 assumirão a chefia de brigadas, 23 terão a função de gerentes do fogo estaduais e três serão gerentes federais. No estado do Mato Grosso, o Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do Ibama contratou 10 brigadas, formadas por um total de 154 brigadistas e três gerentes do fogo. As brigadas atuam em terras indígenas e em assentamentos do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra). 
PERÍODO PROIBITIVO – Neste período – 15 de julho a 30 de setembro - utilizar fogo para limpeza e manejo nas áreas rurais é crime passível de seis meses a quatro anos de prisão, com autuações que podem variar entre R$ 7,5 mil a R$ 1 mil (pastagem e agricultura) por hectare. Nas áreas urbanas, o uso do fogo para limpeza do quintal é crime o ano inteiro. As denúncias podem ser feitas na ouvidoria do BEA: 0800 647 7363, no 193 do Corpo de Bombeiros ou diretamente nas Secretarias Municipais de Meio Ambiente. 
Fonte: Diário de Cuiabá
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.