Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

fabrini-pmmt.jpgUm jovem de 20 anos registrou um boletim de ocorrência nessa quarta-feira (27) após ter supostamente sido agredido por um cabo da Polícia Militar, dentro de uma lanchonete em Sorriso, a 420 km de Cuiabá. A vítima, que pediu para não ser identificada, disse à Polícia Civil que foi provocada pelo policial e por amigos dele. O PM, André Fabrini Barbosa Gomes, teria dado um soco no rapaz e sacado a arma no estabelecimento.
A situação ocorreu na lanchonete Subway, no Centro de Sorriso. O G1 procurou o comandante do 12º batalhão da PM de Sorriso, major Jorge Luiz de Almeida, que disse que a corporação soube do caso apenas por meio do boletim de ocorrência. A reportagem não localizou o policial.
“Formalmente ainda não [fomos procurados]. Ele [o cabo da PM] estava de folga e atua em Sorriso”, declarou. Ainda conforme o comandante, a PM deve abrir um procedimento para apurar o fato, assim que for procurada, ou pela Polícia Civil ou pela vítima.
Pelo telefone, o rapaz agredido disse ao G1 que não queria falar sobre o que aconteceu.
No boletim de ocorrência, registro por ameaça e lesão corporal, o rapaz diz que estava com um colega na lanchonete, quando um homem, que acompanhava Fabrini, teria começado a provocá-lo, insinuando que o jovem perturbava as atendentes. O amigo do PM estaria embriagado, conforme relato do rapaz no boletim de ocorrência.
O amigo do policial retornou para a mesa, onde estava o cabo e outros dois homens. Nisso, de acordo com o jovem, Fabrini se identificou como policial e passou a dizer em voz alta ‘que não estava em um dia bom e estava louco para bater em alguém’.
Ainda em voz alta, o policial teria dito que ‘se pegasse um ‘grandão’ acabaria com ele’.
O jovem percebeu que as indiretas eram para ele e decidiu ir embora da lanchonete, na companhia do colega. Quando estavam deixando o local, um dos amigos do policial fez uma nova provocação e uma discussão começou.
Fabrini se levantou e deu um tapa na cabeça do rapaz, além de um soco de raspão e chamando-o de ‘moleque’. O vigilante do estabelecimento foi ao local e tentou intervir, até que foi agredido por um dos homens que acompanhavam o cabo. Fabrini ainda teria sacado a arma e foi embora antes que a polícia chegasse na lanchonete.

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.