Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) disse, neste domingo, que a operação feita, na quinta-feira passada, pela Polícia Federal, em sua casa e no seu gabinete na prefeitura, vai "elucidar e esclarecer este espisódio" da acusação feita pelo ex-governador Silval Barbosa que ele recebeu R$ 600 mil de propina, divididos em 12 parcelas de R$ 50 mil, para dar apoio político e não investigar o governo. "Eu não cometi nenhum ilítico. Vou falar do assunto (na justiça) mais pormenorizado e mostrar provas fortes e contundentes que temos na nossa defesa", declarou o prefeito.
Emanuel disse também que está a "inteira disposicao da justiça, do Ministério Público, Polícia Federal e Supremo Triibunal Federal para que possamos esclarecer isso. Sou o maior interessado", concluiu. Ele é um dos ex-deputados estaduais gravados, no Palácio Paiaguás, recebendo dinheiro do ex-chefe de Gabinete Silvio Correa.
Ele não confirmou o que foi levado de sua residência durante a operação Malebolge, que é a 12ª fase da operação Ararath. Mas, no dia das buscas, a PF apreendeu dois computadores e um celular. Não foi detalhado o que acabou sendo levado do gabinete na prefeitura. Também houve buscas e apreensões em mais 64 endereços - gabinetes de deputados estaduais, do deputado federal Ezequiel Fonseça, do ministro Blairo Maggi, do senador Cidinho, do secretário estadual de Desenvolvimento, Carlos Avalone, da prefeita de Juara, Luciane Bezerra e nos apartamentos de deputados estaduais.
O ministro Luiz Fux, do STF, que autorizou as buscas negou pedido da procuradoria para afastar o prefeito do cargo
Fonte: Só Notícias (foto: arquivo/Gazeta Digital)
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.