Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Já dura aproximadamente cinco horas a devassa realizada pela Polícia Federal nos gabinetes da Assembleia legislativa de Mato Grosso (ALMT). Uma força-tarefa foi montada pelo órgão federal para cumprir mandados de busca e apreensão na Casa de Leis. Cada canto das salas está sendo revirado pelos agentes. Ao todo, as salas de oito deputados estaduais são alvos da ação. A ‘Operação Malebolge’ foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (14).

Leia mais:
Veja lista de crimes investigados na ‘Operação Malebolge’; ministro, prefeito, senador e deputados são alvos
 
Os agentes da Polícia Federal chegaram ao local por volta das 06h30 desta quinta-feira (14). São alvos os gabinetes de oito deputados, são eles: Gilmar Fabris (PSD), Nininho (PSD), José Domingos Fraga (PSD), Baiano Filho (PSDB), Wagner Ramos (PSD), Silvano Amaral (PSD), Oscar Bezerra (PSB) e Romoaldo Filho (PMDB).
 
Até o momento, diversos documentos já foram apreendidos e levados para a sede da Polícia Federal, em Cuiabá. Além disto, também foram levados diversos CPU’s de computadores da Casa de Leis. No gabinete do deputado Nininho, os agentes tiveram de solicitar um carrinho para retirar os papéis.
 
Os agentes da Polícia Federal estão vasculhando cada canto dos gabinetes da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Nem os forros das salas dos parlamentares escaparam da devassa. Reforços tiveram de ser solicitados no local, devido ao grande número de material.
 
Também foram realizadas buscas na Prefeitura de Cuiabá, no gabinete do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), que aparece em vídeo gravado por Silval Barbosa (PMDB) recebendo dinheiro, quando ainda era deputado estadual. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) também foi alvo da operação desta quinta-feira (14).
 
Malebolge
 
A ‘Operação Malebolge’, deflagrada na manhã de quinta-feira (14), tem como objetivo apurar a prática de pelo menos seis crimes que teriam sido praticados pelos investigados, nesta que é 12ª fase da ‘Operação Ararath’. Entre os alvos de mandados de busca e apreensão estão o ministro Blairo Maggi (PP), prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB), diversos deputados estaduais e empresários.
 
O inquérito judicial investiga prática de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, gestão fraudulenta de instituição financeira, crimes contra a ordem tributária. Além disto, ainda apura a prática de obstrução de investigação criminal, que consistiu em pagar colaborador para mudar versão de depoimentos e pagar investigado para não celebrar acordo de colaboração.
 
Dentre os investigados estão o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), deputados estaduais, empresários e conselheiros do Tribunal de Contas do Mato Grosso (TCE-MT), sendo que cinco destes últimos (José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis, Antônio Joaquim Moraes Rodrigues Neto, Walter Albano da Silva e Sérgio Ricardo de Almeida) foram afastados de suas funções.
 
Além disto, o senador José Aparecido dos Santos, o Cidinho, também foi alvo da operação desta quinta-feira. Policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão em seu apartamento, localizado no Edifício Paul Cezanne, em Cuiabá.
 
Ao todo, são 65 endereços que tiveram mandados de busca e apreensão expedidos, entre endereços pessoais e profissionais de investigados no inquérito relativo à Operação Ararath. O cumprimento dos mandados pela Polícia Federal foi acompanhado por 16 membros do Ministério Público Federal.
 
O esquema foi descoberto no curso das investigações da Operação Ararath, a partir da apreensão de diversos documentos e depoimentos prestados por colaboradores, entre os quais está o ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa. A organização criminosa instalou-se no alto escalão do estado de Mato Grosso e funcionou especialmente entre 2006 e 2014.

Atualizada às 13h15 - Após pouco mais de sete horas de trabalho, os agentes da Polícia Federal deixaram a sede da Assembleia Legislativa. O último gabinete onde foram cumpridos os mandados de busca e apreensão pertence ao parlamentar Ondanir Nininho (PSD). Lá, em decorrência da farta quantidade de material, um carrinho contendo documentos e mídia foi retirado. Todo material será levado para análise da PF, em Cuiabá



Da Redação - Wesley Santiago

Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.