Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Cantora se apresentou nesta sexta (22) na Orla.Uma mulher de 29 anos e outra de 22 foram presas durante o show da cantora Ludmilla na noite desta sexta-feira (22), na Orla do Porto, em Cuiabá. Segundo o boletim de ocorrência 2017.318022, as jovens atacaram com socos na cabeça e chutes uma policial militar que fazia a segurança do evento. Ainda, promoveram ofensas verbais e se recusaram a serem detidas, chutando o veículo da corporação e convocando populares presentes a jogarem pedras contra a Polícia Militar (PM). Na delegacia, uma das jovens se identificou como filha de advogada e ameaçou os militares presentes.
De acordo com a versão do 1° Batalhão da Polícia Militar, uma guarnição foi acionada por seguranças particulares, que apontaram para um princípio de tumulto na multidão, durante o show. Ao chegarem no local, aconselharam os populares a se retirarem daquele espaço, a fim de evitar brigas. Instante em que a soldado Karen Fortes recebeu um soco na cabeça.

A agressora, Jocelina Franca Ventura da Rocha, de 29, natural de Cáceres, recebeu voz de prisão no mesmo instante. Não satisfeita, incitou a população a reagir contra a PM, xingando a soldada agredida de ”filha da p*” e “desgraçada”.

Ao ver a cena de descontrole da agressora, a suspeita Natalia Damacena Santos Alves, de 22, natural de Cuiabá, reagiu...contra a PM. Desferiu um chute no braço direito da soldado.  

Vendo-se cercada por populares excitados para o início de um tumulto, a PM utilizou gás de pimenta e arma elétrica não letal para dispersar a multidão, conseguindo por fim deter Natália que, assim como Jocilene, tentou comover os populares, gritando e debatendo ao solo, enquanto desferia frases como "Policinhas de merda, bandos de bosta".

Ao serem colocadas no camburão da viatura, as suspeitas deram chutes contra a porta do compartimento traseiro. A PM precisou sair rapidamente do local, pois populares passaram a ameaçar os policiais, lançando pedras e garrafas contra o veículo, que ao sair em alta velocidade, ainda atingiu o carro de um cidadão.

Durante revista, no CISC Planalto, a PM encontrou uma arma branca em posse de Natália, que apresentou marcas de mordida na perna. Sendo interrogada sobre a confusão, passou a proferir ofensas morais a corporação. Apresentou-se como funcionária da Defensoria Pública de Mato Grosso e que, sendo filha de advogada, iria fazer com que os militares envolvidos em sua prisão 'pagassem caro por tudo'.

A suspeita Jocelina evitou o tom de voz agressivo, mas queixou-se de dores na região da cabeça, proveniente da briga ocorrida no show.

As agressoras poderão responder por desacato, resistência à prisão, injúria real e ameaça.

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

Marcadores:

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.