Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Ministro do Supremo nega afastamento de Emanuel Pinheiro da prefeituraO ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Feferal (STF), negou pedido da Procuradoria Geral da Republica para afastar o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro. Apenas as buscas e apreensões foram autorizadas pela Justiça. As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa da prefeitura.
 
A decisão levou em conta os fatos revelados pela delação premiada do ex-governador Silval da Cunha Barbosa. Emanuel ainda está acompanhando as apreensões. Além da casa do prefeito, seu gabinete na sede do Poder Executivo municipal foi vasculhado por agentes da Polícia Federal.
 
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (14) a operação Malebolge, fundamentada nas informações fornecidas pelo político
 
Segundo a Polícia Federal, o objetivo da operação é cumprir mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 64 endereços. Ao todo, são 270 pessoas dentre policiais federais e membros do Ministério Público Federal (MPF).

Os seguintes municípios são alvos da ação: Cuiabá/MT, Rondonópolis/MT, Primavera do Leste/MT, Araputanga/MT, Pontes e Lacerda/MT, Tangará da Serra/MT, Juara/MT, Sorriso/MT, Sinop/MT, Brasília/DF e São Paulo/SP.

Em Brasília (DF), o apartamento do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), também foi alvo de mandado de busca e apreensão. Na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), gabinetes de vários deputados foram vasculhados pelos agentes..

Da Redação - Arthur Santos da Silva

Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.