Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Lenine Martins/SespO número de roubos de aparelho celular em Mato Grosso caiu 28,6% de janeiro a agosto de 2017, se comparado ao mesmo período de 2016. Nesses meses do ano passado foram 8.807 aparelhos roubados (quando tem violência ou amaça) e neste ano foram 6.287, uma diferença para menos de 2.520. 
Os dados levantados pela Coordenadoria de Estatísticas e Análise Criminal da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp-MT) apontam a quantidade de aparelhos, não o número de boletins de ocorrência. Isso pelo fato que em um único registro pode haver mais de um celular roubado. 
A redução se dá, entre outros fatores, pela atuação ostensiva da Polícia Militar. Em horários de pico, por exemplo, os policiais militares se posicionam em locais com grande circulação de pessoas, o que acaba inibindo a ação de criminosos. 
“A Polícia Militar está trabalhando também na prevenção, com orientações para que as pessoas utilizem o celular preferencialmente em locais seguro e que se não estiver utilizando o aparelho que evite deixá-lo a mostra, pois o criminoso busca um momento de descuido para subtrair o bem do cidadão”, ressalta o subchefe de Estado maior da Polícia Militar de Mato Grosso, coronel PM Jonildo de Assis.
Para as policias Militar e Civil, as instituições de Segurança Pública de forma integrada, cada uma com as próprias atribuições e com as análises criminais, ajudam de forma significativa a redução dos índices das ações criminosas. “É um trabalho continuado que vem nos possibilitando alcançar resultados positivos no enfrentamento à criminalidade”, completa Assis. 
O que também tem colaborado para a redução de roubo de aparelhos celulares é o serviço oferecido pela Polícia Judiciária Civil que bloqueia o aparelho já na hora do registro do boletim de ocorrência. “Todas as delegacias de Mato Grosso contam com o serviço e para isso basta a vítima informar o número da linha. Como o aparelho fica bloqueado o criminoso perde o interesse de cometer o crime”, detalha a delegada titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos, Luciani Barros Pereira de Lima.  
A delegada titular ainda destaca que o número de prisões de autores de roubo tem aumentado em Mato Grosso e isso tem colaborado para a melhora contínua dos índices. Também está entre as ações da PJC o monitoramento de redes sociais e sites de compra. “Se for detectado que o produto [aparelho celular] é ilícito e for feita a venda e compra é caracterizado o crime de receptação”, explica Luciani.
 Sesp-MT
Marcadores:

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.