Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A Polícia Federal (PF) faz buscas, nesta manhã, na residência do deputado José Domingos Fraga (PSD) em Sorriso, situada rua Mário Spinelli, na região central. A Operação é fruto das delações do ex-governador do Estado e sua família.

No total estão sendo cumpridos mandados em 64 endereços, em dois Estados (Mato Grosso, São Paulo) e em Brasília. Trata-se da operação Malebolge, a 12ª fase da Ararath.

Um chaveiro foi chamado para que a porta fosse aberta e seja cumprido o mandado de busca e apreensão. O parlamentar, que foi delatado pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), não está em Sorriso.

Zé Domingos geralmente reside por mais tempo na capital, mas mantém sua residência na Capital do Agronegócio, onde um cofre foi aberto e vários documentos foram encontrados pelos agentes.

A casa do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), no bairro Jardim das Américas, também é um dos alvos de uma operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (14) pela PF, na capital.

Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE) também estão na mira da Polícia. Na delação, Silval diz que os conselheiros receberam propina de aproximadamente R$ 53 milhões para aprovarem as contas dele.

Delação premiada
Zé Domingos aparece em um vídeo junto ao deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), contando dinheiro e o acomodando em uma caixa de papelão. Em seguida, ele coloca a caixa debaixo do braço.

Conforme o ex-governador, os valores eram para para que Domingos apoiasse o governo e não fiscalizasse irregularidades em sua gestão.

O vídeo, que causou indignação na população, faz parte da delação premiada do ex-governador, firmada com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Sobre as imagens, Zé Domingos disse que elas "não passam de uma armação totalmente premeditada” do ex-governador. Ele confirma que recebeu dinheiro, mas nega que o pagamento fosse ilegal e “chorou” por contas das acusações.

Em virtude da delação, Zé Domingos afirmou que não trabalhará em prol de sua indicação como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) até conseguir provar sua “inocência”.

O nome do deputado também foi citado pelo filho de Silval, Rodrigo Barbosa, que afirmou ter repassado R$ 650 mil para os deputados José Domingos Fraga (PSD), Wagner Ramos (PSD) e Silvano Amaral (PMDB) para que eles votassem pela aprovação das contas de Governo de seu pai, referentes ao exercício 2014.

A PF informou tratar-se da Operação Malebolge (12ª fase da Ararath) que mobiliza 270 pessoas dentre policiais federais e membros do MPF em Cuiabá, Sorriso, Rondonópolis, Primavera do Leste, Araputanga, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Juara, Sinop, Brasília (DF) e São Paulo (SP).


Fonte: Portal de Sorriso
Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.