Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Delegado que investiga grampos avalia que Gaeco não sabe se defender e parte para o ataque
O delegado Flavio Stringueta, que auxilia a delegada Ana Cristina Feldner nas investigações dos grampos ilegais, disse que o Ministério Público Estadual (MPE) foi “infeliz” na nota em que disse ter “estranhado” o fato de o depoimento ter ocorrido após a decisão do ministro Mauro Campbell, do STJ, requisitando toda a investigação. Para ele, o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) não sabe se defender e “parte para o ataque”.“Achei que foram muito infelizes nesta nota. Foi muito mal elaborada. Ao invés de atacarem a informação, atacaram a forma como ela foi produzida. Isso não muda que a informação existe. Ainda que fosse feita de forma irregular, o que não ocorreu, seria só refazer o ato. Deu a impressão que o MP sugeriu que nós delegados forçamos aquela situação e produzimos uma informação errada”, disse o delegado ao Olhar Direto.
 
Stringueta ainda acrescentou que o Gaeco é “uma instituição que merece respeito, mas quando tem a imagem maculada de alguma forma, não sabe se defender, partiram para o ataque. Não adianta reclamar. É igual estão fazendo com o áudio do Joesley [Batista], não atacam o que foi gravado e sim a forma, como se não tivessem dito aquilo”.
 
Em nota, o Gaeco diz que “repudia qualquer tentativa de envolvimento de Promotores de Justiça que integram ou integraram o Grupo no ‘escândalo dos grampos’”. Acrescenta também que “ter “estranhado” o fato do Militar ter prestado depoimento após a decisão do STJ, requisitando toda a investigação”.
 
Selma e Marco Aurélio
 
Trecho de um documento encaminhado ao desembargador Orlando Perri, antigo relator do caso no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, aponta que o cabo da PM revelou a irregularidade ocorrida, segundo ele, com anuência de Marco Aurélio.
 
O membro de MPE teria determinado que Gerson criasse uma história como cobertura para dar início à interceptação de pessoas suspeitas de tramarem a morte de Selma Arruda.
 
Os suspeitos no atentado seriam o ex-governador Silval Barbosa e ex-deputado José Riva.

Da Redação - Wesley Santiago

Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.