Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

SINOP: Mulher acusa ex-namorado de vazar foto íntima em grupos do WhatsApp
Uma jovem de 26 anos acusa o ex-namorado, da mesma idade, de vazar uma foto íntima dela em grupos do aplicativo WhatsApp. A vítima foi até a delegacia de Sinop (477 km de Cuiabá) e relatou o caso às autoridades. Ela alegou que a imagem foi tirada sem seu consentimento, enquanto ainda mantinha um relacionamento com o suspeito.
 
Em seu depoimento, a mulher disse que após o término do namoro, o homem enviou a foto para a vítima, dizendo que a imagem estava sendo espalhada em grupos de conversas, por meio do aplicativo.
 
A jovem então pediu explicações do acusado, que disse que havia enviado a foto apenas para um grupo de pessoas do Paraná e que, por tal motivo, “ninguém a reconheceria”. A vítima acredita que o envio da imagem tenha sido por vingança.
 
O caso é investigado pela Polícia Judiciária Civil (PJC). A Lei Carolina Dieckmann é como ficou conhecida a Lei Brasileira 12.737/2012, sancionada em 30 de novembro de 2012 pela ex-presidente Dilma Rousseff, que promoveu alterações no Código Penal Brasileiro, tipificando os chamados delitos ou crimes informáticos.
 
O Projeto que resultou na "Lei Carolina Dieckmann" foi proposto em referência e diante de situação específica experimentada pela atriz, em maio de 2012, que teve copiadas de seu computador pessoal, 36 fotos em situação íntima e conversas, que acabaram divulgadas na Internet sem autorização.
Fonte:Wesley Santiago
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.