Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Justiça expede mandado de prisão contra coronel e ex-deputado Taborelli
A 2ª Vara Criminal de Cuiabá expediu, na terça-feira (28), um mandado de prisão contra o ex-deputado estadual e coronel aposentado da Polícia Militar, Pery Taborelli da Silva Filho, condenado por abuso de autoridade e privação de liberdade contra um grupo de pessoas e adolescentes quando atuava em Rosário Oeste (133 km de Cuiabá) como chefe da PM.
Este já é o 2º mandado expedido contra o militar, em decorrência de ele não comparecer à audiência para fixar as condições impostas ao regime semiaberto, no processo em que foi condenado a  2 anos, 4 meses e 13 dias de detenção. A condenação ocorreu em abril deste ano. 
O 1º mandado de prisão (nº 561858) foi determinado em 31 de outubro e expedido em 10 de novembro, pois o coronel não compareceu a audiência marcada para o dia 27 de setembro.
No mandado, o juiz da Vara de Execuções Penais determinou que Taborelli deveria ser preso e ser apresentado ao Juízo do Núcleo de Execuções Penais da Capital no prazo de 24 horas na hipótese de a prisão se dar em Cuiabá, Várzea Grande, Jangada ou Distrito da Guia.
No entanto, isso não ocorreu e novo mandado (nº 564926) foi expedido nesta terça-feira (28). 
Condenação – Taborelli foi condenado por agir de forma truculenta contra três adolescentes durante a comemoração do aniversário de 150 anos de Rosário Oeste, ocorrido em 2011, época em que ele era comandante do batalhão da cidade.
De acordo com denúncia do Ministério Público, sob o comando de Taborelli os policiais abordaram um grupo de pessoas, onde supostamente havia de adolescentes ingerindo bebidas alcoólicas. Taborelli chegou a questionar os organizadores da festa sobre a presença dos menores e desencadeou uma operação “Choque de Ordem”.
Ele mandou desligar o som e determinou que as pessoas fossem embora para casa. Contudo, três adolescentes foram colocados no camburão das viaturas, de forma truculenta, e levados até a delegacia da cidade.
Uma adolescente declarou à justiça que estava acompanhada dos irmãos maiores de idade e, mesmo assim, foi puxada pela camisa por Taborelli, até o momento em que a roupa se rasgou. Ela contou ainda o coronel puxou sua calcinha a ponto de machucar sua virilha.
Além dos adolescentes, outros adultos que estavam no local também foram detidos.
Diante do caso, o desembargador Gilberto Giraldelli, relator do processo, votou pela condenação do militar. A decisão foi acompanhada por unanimidade pelos demais pares da 3ª Câmara do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
Além da prisão em regime semi aberto, Taborelli foi condenado a suspensão dos direitos políticos por 3 anos, multa de 10 vezes o valor do salário recebido por ele na época e proibição de contratar com o Poder Público.
Fonte:Karine Miranda, repórter do GD
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.