Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A polícia suspeita que Dilson esteja morando em Alagoas ou no Maranhão onde ele tem parentes. A divulgação desta reportagem pode ajudar na localização do criminoso
Oito meses após o assassinato da adolescente Vitória Gabriely Vidal Nascimento, de 14 anos, a Polícia Judiciária Civil ainda procura por Dilson Serra Souza, acusado de cometer o crime no dia 6 de março, em de São José do Rio Claro (300 km de Cuiabá). A menina foi encontrada em um matagal, esganada e em estado de putrefação no bairro Jardim Rio Claro. A Polícia Civil da região tem divulgado a foto do suspeito na tentativa de localiza-lo.

O delegado responsável pelo caso, Nilson Farias, contou que há indícios de que o criminoso esteja vivendo em Alagoas ou no Maranhão, onde possui familiares. Dilson já havia sido preso em 2014 por integrar o chamado “Novo Cangaço”, tendo praticado crimes no município de Nova Maringá (369 km de Cuiabá).

“Quando o prendemos ele estava com diversos armamento, incluindo um fuzil .30, tanto que esse virou o apelido dele na cadeia. Depois de um tempinho ele foi solto e cometeu essa atrocidade”, explica Farias. Ele reforça que Dilson está foragido desde a época do crime, quando foi pedida sua prisão, e pede apoio da população. “A Polícia Civil necessita do apoio e compartilhamento da imagem a fim de que seja localizado.”

Vitória era moradora de uma fazenda da região a cerca de 20 quilômetros da cidade e saiu em um ônibus, na companhia das irmãs de 6 e 9 anos, para ir à escola. De lá, saiu caminhando para ir até a casa da avó, onde pegaria materiais escolares comprados por ela. Seu corpo foi encontrado três dias depois, já em estado de putrefação.

À época o delegado responsável pelo caso, Nilson Faria afirmou que a garota estava com todas as vestimentas e que exames realizados apontaram que ela não sofreu nenhum crime sexual.  A Polícia constatou que o aparelho celular da jovem foi roubado, entretanto, nenhuma motivação foi descartada pelos investigadores.

Qualquer informação pode ser repassada por meio dos números 197/181, da Polícia Civil, ou pelo 65 33861908, da delegacia da cidade.

Fonte:Olhar Direto
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.