Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT


A câmara de Juara confirmou, ao Só Notícias, que os vereadores vão definir se será ou não instaurada uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a prefeita Luciane Bezerra (PSB), que foi gravada recebendo maços de dinheiro que seriam de propina, no Palácio Paiaguás. Os vídeos fazem parte da delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que foram entregues para Procuradoria-Geral da República (PGR), em agosto deste ano.

A movimentação dos vereadores só ocorreu após o promotor de justiça, Osvaldo Moleiro Neto, encaminhar à câmara ofício requerendo tomada de providências em relação à prefeita. Ele se fundamentou no decreto-lei 201/1967, “que estabelece infrações político-administrativas dos prefeitos são sujeitas ao julgamento pelas câmaras municipais e chega a sugerir que a câmara abra processo de cassação da prefeita, por infringir o referido decreto-lei que também preconiza que os julgamentos por parte da câmara podem se converter em cassações de mandato nos casos em que se comprovar que o gestor municipal impediu o funcionamento do legislativo municipal, que desatendeu, sem motivo justo, as convocações ou pedidos de informações do legislativo, quando feitos de forma regular.

Neto mencionou ainda que a cassação também é passível quando o prefeito pratica ou omite atos que afrontem as disposições da referida lei e também quando omite ou negligencia-se na defesa de bens, rendas, direitos ou interesses do município e quando comete quebra de decoro.

Outro lado
Só Notícias tentou contato, por telefone, com a prefeita Luciane Bezerra, mas as ligações não foram atendidas.

Fonte: Só Notícias/Cleber Romero (foto: assessoria/arquivo)

Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.