Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Amostra ainda revela bom desempenho de ex-reitora da UFMT e Procurador Mauro

MAGGI-JAIME.jpg

Dando continuidade no levantamento feito pelo instituto de pesquisa Ibope sobre a preferência dos mato-grossenses para às eleições do ano que vem o Diário trás a intenção de voto para o Senado Federal. Na modalidade estimulada - quando uma lista de possíveis candidatos é apresentada ao entrevistado – e dando a opção para que o eleitor indique dois, já que Mato Grosso elegerá dois senadores em 2018, o senador licenciado e atual ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Maggi (PP), aparece em primeiro lugar com 33% de preferência dos mato-grossenses.
Em segundo lugar, estão o ex-senador Jayme Campos (DEM) e o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (sem partido) com 23% da intenção de voto dos entrevistados. O procurador Mauro, do Psol, aparece com 13%, seguido pelo deputado federal Nilson Leitão (PSDB) com 9%. 
A ex-reitora da UFMT, professora Maria Lúcia (PCdoB), o senador José Medeiros (Podemos) e o conselheiro afastado Antônio Joaquim, estão empatados com 5% cada. O deputado federal Adilton Sachetti (sem partido) vem em penúltimo com 4% e fechando a lista o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) com 3%. 
Brancos e Nulos alcançaram 19% e 12% não souberam ou não quiseram responder. Quando o Ibope perguntou ao entrevistado para escolher o seu primeiro voto para senador, Blairo Maggi continua em primeiro com 23% da preferência.
Jayme Campos surge em segundo com 14% de intenção de voto, seguido de Mauro Mendes com 11%. O procurador Mauro aparece em quarto lugar com 7%, seguido de Nilson Leitão com 5%. O senador Medeiros alcança 3%, seguido pela ex-reitora, Sachetti e Antônio Joaquim com 2% cada. Fávaro pontua com 1%. 
Já na modalidade espontânea - quando uma pergunta é feita aos entrevistados e não é dada nenhuma alternativa para resposta -, o ministro Blairo aparece com 7% de intenção de votos. Mauro Mendes e Jayme Campos voltam a empatar com 4% cada. 
Já a professora Maria Lúcia, os deputados Nilson Leitão e Adilton Sachetti, os senadores José Medeiros e Wellington Fagundes (PR), Lúdio Cabral (PT) e procurador Mauro, aparecem todos com 1% na lembrança dos eleitores mato-grossenses. A soma todos os outros nomes citados com menos de 1%, chega a 3%. Brancos e Nulos 25%. 
Em todas as situações apresentada pelo Ibope, Blairo Maggi aparece como opção preferencial de voto para o eleitor mato-grossense. O atual ministro já afirmou que pretende disputar a reeleição ao cargo de senador, já que foi eleito em 2010 com mais de um milhão de votos. 
Outra disputa que promete é entre o ex-senador Jayme Campos e o ex-prefeito Mauro Mendes. Assim como na pesquisa para o governo, ambos aparecem empatados em dois cenários, e um, pela margem de erro. 
Porém, os dois ainda não afirmaram oficialmente as candidaturas para a majoritária do ano que vem. Mas nos bastidores não negam o desejo de disputar o pleito de 2018. Jayme Campos chegou a registrar a candidatura de reeleição ao senado em 2014. No entanto, duas semanas depois do início da campanha, desistiu da disputa. Já Mauro Mendes recuou no ano passada da candidatura a reeleição para a prefeitura da capital. 
A surpresa da pesquisa fica por conta do procurador Mauro, que aparece bem posicionado em todos os cenários. O procurador Mauro ainda não anunciou a qual cargo disputará as eleições do próximo ano. 
Outra surpresa é a ex-reitora Maria Lúcia que nunca disputou uma eleição. A comunista aparece na frente de vários políticos como o vice-governador Carlos Fávaro e o deputado Adilton Sachetti. Já na espontânea Lúcia aparece empatada com o senador José Medeiros, deputado Nilson Leitão e Lúdio Cabral. 
A pesquisa Ibope ouviu 812 entrevistados em 30 cidades mato-grossenses entre os dias 2 a 8 de dezembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.
Dos 812 entrevistados, 196 são da capital, 140 da região sudoeste, 154 norte e nordeste e 322 sudeste. Foram entrevistados homens e mulheres em diversos grupos de idade entre 16 e 17 anos, 18 e 24, 25 e 34, 35 e 44, 45 e 54, 55 e 64, e 65 anos para cima.
A formação dos entrevistados varia entre até 4ª série do ensino fundamental, 5ª a 8ª série, ensino médio e superior. Foram utilizados como fontes de dados para elaboração da amostragem o Censo 2010, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PNAD-IBGE) de 2015 e dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de 2016 e estudos internos. 
Fonte: Diário de Cuiabá
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.