Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Yana Fois Coelho Alvarenga usava o poder aquisitivo e a influência que tinha na região para cometer o atentado.

   O juiz Ricardo Nicolino de Castro aceitou a denúncia do Ministério Público (MP) e determinou a prisão preventiva da médica Yana Fois Coelho Alvarenga. Ela é acusada de ser a mandante do assassinato do prefeito de Colniza, Esvandir Mendes, 61 anos. O crime aconteceu no dia 15 de dezembro.
   Segundo o magistrado, a prisão da médica é necessária pois ela usava sua influência na região e poder financeiro para intimidar testemunhas e tentar atrapalhar as investigações sobre o crime.
   “Ademais, mesmo ciente da investigação policial, a todo momento a denunciada Yana demonstrou a intensão de atrapalhar a coleta de outras provas, nunca sendo demais lembrar que a denunciada pertence à família de poder econômico e notoriedade na cidade, que goza de grande prestígio social, o que não raramente serve de meio intimidatório para a colheita de provas, em especial a testemunhal, ainda mais em uma comunidade tão simples como a cidade de Colniza/MT”, consta na decisão.
   Ainda conforme o magistrado, a a médica tem que continuar presa para não interferir na coleta de novas provas relacionadas ao assassinato do prefeito.
    “Inferindo-se, assim, que, em liberdade, há fundado receio de que possa interferir na coleta de prova judicial, servindo sua prisão para garantir a sia aquisição, conservação e veracidade, imune a qualquer ingerência nefasta da denunciada”, diz o juiz.
Acatou denúncia
   Na mesma decisão, o juiz aceitou a denúncia contra os quatro acusados pelo Ministério Público do Estado (MPE) da execução do prefeito.
   Com a decisão, o empresário Antônio Pereira Rodrigues Neto, a mulher dele, a médica Yana Fois Coelho Alvarenga, e os executores do crime Zenilton Xavier de Almeida e Welison Brito Silva tornam-se réus.
   A denúncia foi protocolada no dia 27 de dezembro e a decisão do magistrado foi proferida na terça-feira (2), durante o plantão judicial. O magistrado determinou a juntada de todas as informações e ainda deve designar as audiências para ouvir os réus e testemunhas do caso.
O crime
   No dia 15 de dezembro, o prefeito conduzia uma Toyota SW4 preta quando foi interceptado pelos criminosos, cerca de 7 quilômetros da entrada da cidade. O veículo foi ao encontro da caminhonete, momento que foram efetuados vários disparos contra o prefeito Esvandir que ainda conseguiu dirigir, mas morreu no perímetro urbano, na BR 174, esquina com a Rua 7 de Setembro. Outros dois disparos feriram o secretário Admilson Ferreira dos Santos, sendo um na perna esquerda e outro nas costas.
Fonte: ReporterMT
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.