Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A partir do dia 23, o recolhimento poderá ser integral ou parcelado em até três vezes. Após 31 de janeiro, o valor só deverá ser quitado em cota única, com acréscimo de juros e multas.

   Proprietários de veículos com placa final 1 têm até o dia 22 de janeiro para recolher o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) com desconto de 3%.
   O beneficio é concedido para pagamentos em cota única.
   A partir do dia 23, o recolhimento poderá ser integral ou parcelado em até três vezes. Após 31 de janeiro, o valor só deverá ser quitado em cota única, com acréscimo de juros e multas.
   Os contribuintes que optarem pelo parcelamento podem dividir o valor em até três vezes mensais, iguais e sucessivas, conforme calendário de vencimento. Nesses casos, o valor por parcela não pode ser inferior a R$ 128,24 (1 UPF).
   O valor mínimo da parcela foi reduzido de R$ 384,72 (3 UPFs) para R$ 128,24 (1 UPF) no inicio do mês, conforme anunciado pelo Executivo.
   A Secretaria de Fazenda (Sefaz) ressalta que as opções de pagamento tanto para cota única, quanto para parcelamento, estão disponível no sistema IPVA.
  Para emitir a guia de recolhimento o contribuinte deve acessar o site da pasta fazendária, no banner IPVA, opção “Pague seu IPVA”.
   O pagamento do IPVA, qualquer que seja a modalidade ou exercício de referência, pode ser efetuado mediante a apresentação do documento de arrecadação no Banco do Brasil, Sicredi, Bancoob, Bradesco, Itaú, Primacredi e Santander.
   A quitação do imposto é um dos requisitos para licenciar o veículo. O não pagamento gera multa e juros, além do risco de o veículo ser apreendido.
   A tabela do IPVA com o cronograma completo de pagamento para cada número final de placa pode ser consultada no site Sefaz.
IPVA 2018
   Em 2018, o IPVA está, em média geral, 3,24% menor que o que foi pago em 2017, com alíquotas que variam entre 1% e 4%, dependendo do tipo, marca, modelo e ano de fabricação do veículo.
   O recolhimento do imposto é feito com base na pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que aponta redução média de 3,63% para automóveis, 3,52% para camionetas e utilitários, 6,77% para caminhões, 4,98% para ônibus e micro-ônibus e 2,34% para motos e similares. 
   O imposto é responsável pela segunda maior arrecadação estadual. Do total arrecadado, 50% são destinados ao Estado e 50% aos municípios onde estiver licenciado o veículo.
   O recurso é aplicado de acordo com as prioridades estabelecidas no orçamento do Estado e das prefeituras.
Fonte: assessoria
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.