Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT


O perito Ricardo Molina analisou a gravação em que a voz atribuída ao deputado estadual Jajah Neves (PSDB) confessa a devolução da verba indenizatória de R$ 65 mil ao titular da cadeira na Assembleia, secretário estadual de Cidades Wilson Santos (PSDB). Segundo ele, trata-se de montagem fraudulenta e sem valor jurídico, mas não nega que seja o parlamentar falando.

Molina, que ficou conhecido nacionalmente por atuar nas investigações do assassinato de PC Farias na década de 1990 e analisar o áudio do presidente da República Michel Temer (PMDB) captado ilegalmente pelo sócio da JBS Joesley Batista, foi contrato pelo próprio Jajah. A fala do perito foi divulgada em vídeo que está circulando no aplicativo de mensagens Whats App, mas internautas cobram a divulgação da íntegra do laudo pericial.
“O vídeo é uma montagem fraudulenta, materialmente. Portanto, é um vídeo criminoso. Juridicamente, essa gravação não teria valor nenhum. Como se fala no termo jurídico, imprestável. Se um dia aparecer o autor dessa gravação, certamente será processado por dois crimes: cibernético e falsidade documental”, assegura Molina na gravação divulgada por Jajah.
Já o tucano usa a conclusão de Molina para se declarar vítima de montagem criminosa. Em nota divulgada em 16 de janeiro, já havia classificado a gravação como “pirata” e negado a devolução da verba indenizatória para Wilson.
“Tem gente que usa de maldade com interesse político. Parece que não tem Deus no coração. Essa não é a primeira vez e certamente não será a última que vão tentar destruir a minha imagem. A luta continua. Ninguém vai me intimidar”, disse o parlamentar.
Independente da negativa tanto de Jajah quanto de Wilson, o caso está sendo investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE). A Comissão de Ética da Assembleia também promete instaurar procedimento no retorno do recesso em fevereiro.
Além da devolução da verba indenizatória, a gravação atribuída a Jajah traz outras falas comprometedoras. No vídeo que viralizou na internet, a voz fala que a Caravana do Jajah Neves tem finalidade política, que a TV onde trabalha é sustentada com dinheiro público e que seu irmão Ademar Jajah (PSDB) foi eleitor vereador em Várzea Grande para “arrumar a vida”.
Fonte: RD News
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.