Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Por: MAX AGUIAR
A Operação conjunta da Delegacia Fazendária e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), deflagrada na manhã desta segunda-feira (19), teria como alvos políticos e empresários. Não há mandado de prisão, porém, vários de busca e apreensão foram emitidos pela Justiça Estadual. 

Jessica Bachega - HiperNotícias
OPERAÇÃO GAECO NA AL

As casas dos deputados Eduardo Botelho e Mauro Savi, em Cuiabá e Sorriso, foram vasculhadas pelos policiais, que colhem provas sobre a possível farra com dinheiro público praticada no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), nos anos de 2009 e 2010. 

Além das casas, a sala da presidência na Assembleia Legislativa também é alvo de buscas, assim como um escritório em Brasília. O nome do investigado do Distrito Federal ainda não foi divulgado. 

Na Assembleia Legislativa, o chefe do Gaeco, promotor Marcos Bulhões, comanda os trabalhos. Por enquanto, ele não falou com a imprensa. 

A delação
Nos depoimentos, Dóia já teria admitido um esquema de recebimento de propina da empresa FDL Serviços de Registro, Cadastro, Informatização e Certificação de Documentos Ltda., responsável pelo registro de financiamentos de contratos de veículos, necessário para o primeiro emplacamento.

Com base em uma portaria do Detran-MT, de 2009, a empresa cobrava uma taxa que variava entre R$ 170,00 a R$ 400,00. A FDL ficava com 90% do valor arrecadado, repassando apenas 10% aos cofres da autarquia.

O suposto esquema renderia algo em torno de R$ 1 milhão mensais. O dinheiro era sacado em uma agência do Banco do Brasil, no Distrito Industrial, em Cuiabá.

Ainda na delação, Dóia teria entregue fotos, vídeos e áudios de pessoas recebendo o dinheiro ilícito. Por conta desses detalhes, o Gaeco realiza a operação desta segunda.  
Fonte: Hiper Notícias 
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.