Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

12 municípios de MT decretam situação de emergência por excesso de chuvas
Pelo menos 12 municípios decretaram situação de emergência em Mato Grosso com prejuízos humanos e materiais por excesso de chuvas, desde novembro do ano passado. Todos eles estão classificados em nível 2 de desastres, que inclui obstrução de estradas, destruição de obras de arte (ponte, bueiros e outras construções de viabilidade sanitária e transporte), e danos em áreas de lavoura, pecuária e comércio. 
Estão em emergência Poconé, Mirassol D Oeste, Nova Brasilândia, Comodoro, Juruena, Novo Mundo, Nossa Senhora do Livramento, Porto Esperidião, General Carneiro, Cotriguaçu, Peixoto de Azevedo e Guarantã do Norte. Além destes, Nova Bandeirante e Cláudia estão com decreto em análise em Brasília e seis contabilizam os prejuízos para enviar informações à Defesa Civil. Todos os decretos são homologados no Distrito Federal. 
Segundo a Defesa Civil Estadual, Poconé (a 100 km de Cuiabá) foi o primeiro município a decretar emergência, em 20 de novembro do ano passado, quando a quantidade em excesso de chuvas fez transbordar o rio que corta o município e provocou pontos de alagamentos.
“Todas as cidades [em estado de emergência] estão em nível 2 de desastre, que envolve prejuízos humanos, públicos e privados. A característica comum que se pode pontuar a todos eles são os rios que passam pelos municípios, e o grande volume de chuva neste período fez o rio subir em quantidade que a calha não suporta”, diz o coordenador de Resposta e Reconstrução da Defesa Civil, sargento Wagner Rosa Soares. 
A Defesa Civil afirma que de novembro até hoje o volume de chuvas em Mato Grosso está 45% acima da média dos últimos 15 anos. A situação é ilustrada pelo registro nos últimos 90 dias, quando variou entre 500 e 1,2 mil milímetros (ml) em regiões com média histórica de 150 ml para o período. Em Alta Floresta choveu 1 mil ml e em Cotriguaçu 1,2 mil ml. 
Apenas na sexta (23), três decretos de emergência foram publicados no Diário Oficial do Estado, sendo Novo Mundo, Cotriguaçu e Guarantã do Norte. Segundo o sargento, o dinheiro liberado pela União é para cobrir os gastos com abertura de estrada, construção de desvios, para reconstrução de obras (pontes, bueiros) e ajuda humanitária, no caso de pessoas atingidas por enchente ou alagamento de áreas.
No ano passado, a União aprovou R$ 70 milhões para serviços em 32 municípios que decretaram emergência. Mas, a quantia ainda não foi liberada por falta de orçamento, segundo a Defesa Civil. No período atual, somente Poconé somou prejuízos de R$ 10 milhões. 
Em regra, o recurso para cobrir decretos é liberado com celeridade pela União por causa de situação de emergência. Algumas prefeituras aproveitam o ensejo para iniciar obras sem licitação. “Mas, não temos data para a liberação de dinheiro, e não conseguimos falar quando vem”, diz o coordenador.
Fonte:Reinaldo Fernandes/RD News
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.