Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT


Com projeção de investir R$ 675 milhões, a empresa Nexa, do Grupo Votorantim, terá uma resposta decisiva nesta quarta (28), em reunião do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), ao qual será submetido o Projeto Aripuanã, que é considerado o maior empreendimento de exploração polimetálica e de beneficiamento de zinco, chumbo e cobre, em Aripuanã (a 947 km de Cuiabá).
A expectativa da empresa é de que seja concedida licença prévia para começar a por em prática o projeto, já que este é o primeiro passo para a aprovação da licença de instalação, cuja expectativa é que seja concedida pela secretaria de Meio Ambiente, no segundo semestre.
Reprodução
projeto_aripuana
Reprodução de imagem do vídeo que detalha a implementação do projeto em Aripuanã
Caso, o cronograma siga percurso favorável, a lavra de minérios passará a funcionar ao final de 2020, gerando mais de 600 empregos diretos na região Norte. A perspectiva da Nexa é extrair os metais que serão altamente utilizados na indústria de tecnologia.
O zinco servirá para abastecer indústrias de pneus, aço e fertilizantes, já o chumbo abastecerá fábricas de baterias, tintas e esmaltes, e o cobre é insumo básico para produção de ar condicionado, fios elétricos e aparelhos celulares.
O projeto Aripuanã vai consistir na exploração de uma lavra em mina subterrânea, na Serra do Expedito, que fica a 25 km de Aripuanã, cuja produção anual de concentrado de zinco será de 120 mil toneladas, 50 mil (t) de chumbo e 18 mil (t) de concentrado de cobre.
Tramitação
Desde 1993, o Projeto Aripuanã foi pensado, quando se iniciou os estudos geológicos e de viabilidade econômica na região onde deverá ser instalada a lavra. Em 2013, a Nexa conseguiu a outorga para captação de água, que será utilizada para a operação da planta de beneficiamento.
Em 2014 foi apresentado à Sema o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental. Contudo, a empresa precisou fazer uma readequação de estudo dos impactos ambientais e retirou a pauta da Sema, reapresentando-o no segundo semestre de 2017, e que será apreciado na 3ª reunião ordinária do Consema.
Fonte: RD News
Marcadores: , ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.