Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Foto: Divulgação
Setor produtivo lança Margareth Buzetti ao Senado em busca da herança eleitoral de Maggi
A necessidade de sair do lugar comum e buscar alternativas que se mostrem viáveis para o eleitor, em 2018, levaram o segmento produtivo e o Partido Progressista (PP) a lançar a empresária Margareth Gettert Buzetti, presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá (Aedic), para disputa de uma cadeira no Senado da República por Mato Grosso. Porém, a própria pré-candidata ainda não sente segurança para se pronunciar sobre o tema.
 
A própria pré-candidata reconhece que mudanças podem ocorrer. “Fico feliz pela lembrança do PP em colocar meu nome na disputa do Senado, como pré candidata. Mas somente as convenções [em agosto] é que darão aval às candidaturas e outros nomes poderão concorrer”, argumentou a empresária, que há mais de três décadas possui negócios em Cuiabá e Várzea Grande.


A desistência do ministro da Agricultura e Pecuária, senador mato-grossense Blairo Maggi (PP), abriu um leque de opções e tanto o PP quanto outros partidos buscam alternativas que possam conquistar parte da sua votação. E todos que estão de olho na herança eleitoral avaliam nomes novos.
 
Entretanto, Buzetti ponderou que preferia pedir votos para Maggi, ao invés de ser candidata. “A desistência do ministro Blairo Maggi em concorrer à vaga ao Senado, o que nos deixou muito tristes pela liderança e representatividade que exerce no estado de Mato Grosso e no País, era uma vaga garantida, abriu uma lacuna e é natural que o partido queira preencher”, sintetizou a presidente da Associação do Distrito Industrial, para o Olhar Direto.
 
No reverso da medalha, contudo, Margareth Buzetti reconhece a necessidade de maior participação da mulher na vida pública e de profissionais liberais.  “Penso que a renovação será uma marca nestas eleições e as mulheres, jovens, profissionais liberais etc... precisam ocupar espaços no mundo político. Deve vigorara a visão de que ocupar um cargo público é uma doação e não uma profissão”, avaliou a pré-candidata a senadora pelo PP.
 
A presidente da Aedic enfatiza a sua militância na Aedic e como diretora de Mercado da Associação Brasileira de Reforma de Pneus (ABR). “Sempre fui atuante na política partidária e dentro dos segmentos ao qual represento, pois sou presidente da Aedic e diretora de mercado da ABR”, citou Buzetti. Ela é também presidente do Instituto Maria Stella( Oscip), entidade filantrópica com ênfase para  a  educação, esporte e saúde. “E eu nunca exerci cargo público. Tenho minha consciência cidadã e faço com prazer”, justificou Buzetti, para a reportagem do Olhar Direto.
 
O presidente regional do PP, deputado federal Ezequiel Ângelo Fonseca, não atendeu nem retornou às ligações da reportagem do Olhar Direto. Em entrevista anterior, ele havia assegurado que, mesmo com a desistência de Blario Maggi, o PP não abria mão de fazer parte da chapa majoritária. Na época Ezequiel Fonseca até citou o secretário de Políticas Agrícolas do Ministério da Agricultura, Neri Geller, como principal nome.
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.