Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Expoagro é cancelada e substituída por AgroMT que não terá shows e nem rodeio
Após 53 edições, a tradicional Exposição Agropecuária de Cuiabá (Expoagro) não será realizada em 2018. Isso porque existe a previsão de ser iniciada a execução do novo plano diretor do Parque de Exposições Senador Jonas Pinheiro, na Capital, local onde é realizado o evento.
Para não deixar Cuiabá de fora da agenda de eventos voltados ao agronegócio, o Sindicato Rural anunciou na manhã desta terça (17) o 1º Agro MT, uma feira de tecnologias, balcão de negócios e ciclo de palestras que pretende dar mais foco aos assuntos ligados à agricultura.
De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires de Miranda, o Agro MT será o grande evento a ser realizado pelo sindicato neste ano e que é possível que a Expoagro volte no próximo ano, e o AgroMT esteja na programação da tradicional feira. “A Expoagro não será possível este ano, porque temos a previsão de começar as obras do novo plano diretor do parque de exposições em junho”.
Com um formato mais moderno e estrutura física diferenciada para atender às demandas do setor agropecuário de Cuiabá, o novo formato do parque de exposições foi lançado durante a 53ª Expoagro, realizada em 2017, e será realizado entre os dias 9 e 12 de julho deste ano.
O evento também pretende conferir a Cuiabá o título de Capital Nacional do Agronegócio, que hoje é dado ao município de Sorriso (a 420 km de Cuiabá) por meio da Lei Federal nº 12.724, de 16 de outubro de 2012, como Capital Nacional do Agronegócio. Já em 22 de agosto de 2017, o governador Pedro Taques (PSDB) sancionou a Lei Estadual nº 10.592 que confere a Sorriso o título de Capital Estadual do Agro e da Soja.
Novo Plano Diretor
Orçado em R$ 24 milhões, o novo parque de exposição terá espaços dedicados à agricultura, onde serão realizadas parcerias com entidades ligadas à pesquisa no campo, incluindo universidades públicas e privadas, que poderão ter no local uma fonte contínua de pesquisa.
Do total a ser investido com a nova estrutura, 75% do valor ou R$ 18 milhões já estão garantidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Outros 22% ou R$ 5,6 milhões do total serão financiados pelo Fundo de Apoio à Bovinocultura de Corte (Fabov). O restante do valor deverá vir dos recursos do próprio Sindicato Rural e do governo do Estado, que mantém a sede da Cavalaria da Polícia Militar de Mato Grosso dentro do Parque de Exposições. Existe também a perspectiva, segundo Jorge Pires, de ser criada uma sede metropolitana do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT).
Apesar de muitos produtores rurais e empresários ligados ao setor, considerarem que Cuiabá já possui o título de Capital do Agro, feiras agropecuárias em outras cidades do interior, como acontece em Campo Novo do Parecis (a 390 km de Cuiabá) chegam a movimentar R$ 180 milhões em quatro dias de evento, diferente do que aconteceu na 53ª Expoagro, que movimentou R$ 30 milhões em 10 dias de eventos.
Mas para mudar essa realidade, de acordo com a organização do 1º AgroMT, o público encontrará espaços para máquinas, equipamentos agrícolas, veículos, produtos e serviços destinados à pecuária e agricultura, tudo de última geração. Também serão atrações do evento a exposição da vitrine tecnológica, uma área agro gourmet e festival de comida da roça para todos os gostos e públicos.
"Contratamos uma equipe de arquitetos que está representando o novo plano diretor aqui no Parque de Exposições. Essas pessoas desenvolveram uma área de 170 mil m². É uma área de utilização pública do setor produtivo no Estado. Nós do sindicato juntamente com a Acrimat, que é detentora do uso do parque, queremos fazer desse espaço físico um verdadeiro centro de exposições durante todo o ano. Dizer a todos que esse espaço é das entidades do Estado", ressaltou Jorge Pires.
Programação
Sem programação definida, o Sindicato Rural de Cuiabá anunciou que da antiga programação da Expoagro será mantido o Fórum das Cadeias Produtivas, que inclui uma série de eventos voltados ao público do agronegócio, com workshops e palestras sobre o mercado. Quanto à programação cultural, o AgroMT não terá shows, nem rodeio e exposição de animais. "Não teremos shows este ano, será um evento voltado mais para o lado técnico, onde serão oferecidos cursos de capacitação para produtores, empresários e pessoas ligadas ao agronegócio", pontou Jorge Pires.
O responsável pelo novo plano diretor do parque de exposições, arquiteto Antônio Carlos Cândia explica que a área está sendo desenvolvida para agregar diversos eventos paralelos à tradicional feira agropecuária.  "Nós fomos convocados pela comunidade agropecuarista a desenvolver um plano diretor para o atual espaço onde se realiza a Expoagro há muitos anos. Consideramos que estamos em um ponto estratégico", comenta. E completa citando o compromisso para que, nas próximas edições, o espaço possa receber "atrações diversificadas como exposições de animais, leilões, cursos de novas tecnologias como maquinários e afins", pontua o arquiteto. 
Fonte:Vinícius Bruno
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.