Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Projeto na Assembleia e tentativa de intervenção no PSD fazem vice tomar decisão

favaro-sema.jpg

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) irá renunciar ao cargo. A decisão foi tomada nesta quarta-feira e será anunciada em uma entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, onde fará o protocolo do pedido.
Com a renúncia, Fávaro, que é pré-candidato ao Senado Federal, não correrá o risco de se tornar inelegível, caso o governador Pedro Taques (PSDB) se licencie do cargo. Atualmente, o vice assume imediatamente, caso o chefe do executivo estadual saia momentaneamente do cargo.
A gota d’água para a renúncia de Fávaro foi motivada por conta de um pedido de Pedro Taques, que juntamente com os deputados do PSD, entraram em contato com o presidente nacional do partido, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab. Eles pediam que Kassab interferisse no partido em Mato Grosso, destituindo a comissão provisória presidida por Fávaro e constituísse uma nova, formada pelos deputados.
Kassab afirmou que manteria a decisão tomada no Estado. A decisão de renunciar ocorre no mesmo dia em que quatro deputados estaduais do PSD, partido presidido no âmbito estadual por Fávaro, decidiram sair da sigla.
A legenda vinha sofrendo um racha interno, já que os parlamentares preferiam se manter na base aliada do governador Pedro Taques, enquanto Fávaro, juntamente com o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, optavam por uma postura independente. Com a debandada dos quatro deputados estaduais, a sigla ficará apenas com José Domingos Fraga, irmão de Neurilan, que não disputará a reeleição em outubro.
Nininho e Gilmar Fabris devem desembarcar no PSDB, enquanto Wagner Ramos deve migrar para o PSB e Pedro Satélite rumaria ao Solidariedade, todos da base aliada do governador Pedro Taques. A tendência é que Fávaro, ex-secretario de Meio Ambiente por três anos e meio, seja candidato a senador na chapa em que o senador Welligton Fagundes (PR) dispute o Governo.

Fonte: Folha Max
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.