Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Projeto na Assembleia e tentativa de intervenção no PSD fazem vice tomar decisão

favaro-sema.jpg

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) irá renunciar ao cargo. A decisão foi tomada nesta quarta-feira e será anunciada em uma entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, onde fará o protocolo do pedido.
Com a renúncia, Fávaro, que é pré-candidato ao Senado Federal, não correrá o risco de se tornar inelegível, caso o governador Pedro Taques (PSDB) se licencie do cargo. Atualmente, o vice assume imediatamente, caso o chefe do executivo estadual saia momentaneamente do cargo.
A gota d’água para a renúncia de Fávaro foi motivada por conta de um pedido de Pedro Taques, que juntamente com os deputados do PSD, entraram em contato com o presidente nacional do partido, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab. Eles pediam que Kassab interferisse no partido em Mato Grosso, destituindo a comissão provisória presidida por Fávaro e constituísse uma nova, formada pelos deputados.
Kassab afirmou que manteria a decisão tomada no Estado. A decisão de renunciar ocorre no mesmo dia em que quatro deputados estaduais do PSD, partido presidido no âmbito estadual por Fávaro, decidiram sair da sigla.
A legenda vinha sofrendo um racha interno, já que os parlamentares preferiam se manter na base aliada do governador Pedro Taques, enquanto Fávaro, juntamente com o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, optavam por uma postura independente. Com a debandada dos quatro deputados estaduais, a sigla ficará apenas com José Domingos Fraga, irmão de Neurilan, que não disputará a reeleição em outubro.
Nininho e Gilmar Fabris devem desembarcar no PSDB, enquanto Wagner Ramos deve migrar para o PSB e Pedro Satélite rumaria ao Solidariedade, todos da base aliada do governador Pedro Taques. A tendência é que Fávaro, ex-secretario de Meio Ambiente por três anos e meio, seja candidato a senador na chapa em que o senador Welligton Fagundes (PR) dispute o Governo.

Fonte: Folha Max
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.