Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

2390
A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) informou, nesta segunda-feira, que os pecuaristas devem evitar o trânsito de bovinos sem exame de tuberculose, assim como, se adquirem bovinos em outros Estados, mantê-los isolados do restante do rebanho até a realização do exame, visto que o país passa por dificuldades no abastecimento de insumos para diagnóstico de tuberculose. O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), poderá facultar a exigência dos exames para tuberculose durante a emissão de Guia de Trânsito Animal (GTA), bem como para ingresso de animais em eventos agropecuários. Essa medida é excepcional, por tempo determinado e condicionado a critérios específicos, considerando que a revenda cadastrada em Mato Grosso não dispõe de tuberculina bovina para venda e sua perspectiva para disponibilização deve demorar cerca de um mês.
A suspensão da exigência, em período determinado, foi anunciada pelo Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), através do Memorando Circular 38/2018, do último dia 17 de julho, encaminhado para as Unidades Federativas.
O Indea alertou ainda que em Mato Grosso apenas 26 médicos veterinários habilitados em 22 municípios dispõem em seus estoques particulares de um total somado de 6.683 doses. A Famato foi orientada pelo Indea, por meio do ofício circular 15/2018, quanto aos critérios para a isenção da GTA sem a comprovação do teste negativo para tuberculose bovina.
Nos casos de autorização de evento agropecuário, o organizador deve comprometer-se formalmente, mediante compromisso firmado, de que informará a todos os participantes de que o evento ocorrerá sem a certificação sanitária referente à tuberculose bovina.
Antes da emissão da GTA, o Indea terá que fornecer ao produtor a lista de médicos veterinários que detém estoque de tuberculina na região. Somente mediante a impossibilidade de examinar os animais, a GTA poderá ser emitida sem apresentação do atestado.
O produtor que optar por enviar o bovino ou bubalino sem a realização de exame para tuberculose deverá assinar um termo de responsabilidade. O documento vai ao arquivo juntamente com a solicitação para emissão da GTA para bovídeos.
No caso de bovino e bubalino para outro estado, o produtor deve ser avisado pelo Indea sobre o risco. Antes de emitir a GTA, a unidade deve consultar a Coordenadoria de Defesa Sanitária Animal (CDSA) que verificará com o Serviço Veterinário Oficial do estado de destino sobre sua disposição para receber animais sem os devidos exames.
A Famato conclui reforçando que os animais não testados sejam mantidos isolados até que se realize o exame para brucelose, diante dos riscos sanitários, informa a assessoria.
(Atualizada às 11:44h)

Fonte:Só Notícias/Agronoticias (foto: arquivo/assessoria)
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.