Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de liberdade em habeas corpus da procuradoria da Assembleia Legislativa (ALMT) em nome do deputado estadual Mauro Savi (DEM), detido preventivamente desde o dia 9 de maio, no Centro de Custódia da Capital (CCC). É a quinta derrota consecutiva que o parlamentar sofre na tentativa de conseguir sua liberdade.
No pedido assinado pelo procurador-geral da Casa de leis, Grhegory Paiva Pires, além da soltura de Savi, o poder legislativo solicitava sua legitimidade para ingressar com habeas corpus em favor de parlamentares.
Grhegory requeria ainda reconhecimento de resolução aprovada por 14 votos favoráveis de deputados, seguindo parecer da Comissão de Ética da Casa de Leis, pela revogação da prisão.
Ambos pedidos foram negados por Weber. Além do Habeas Corpus, a ministra deverá julgar ainda uma Reclamação Constitucional, também da Assembleia Legislativa, contra a decisão do desembargador José Zuquim Nogueira, que não acatou a resolução do legislativo.
O projeto de resolução foi encaminhado como parecer ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Porém, ao analisar a decisão da Assembleia, o desembargador pontuou que o legislativo não pode revisar a decisão de prisão preventiva.
O deputado Mauro Savi foi preso durante a Operação Bônus, 2ª fase da Operação Bereré, deflagrada pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco).
O parlamentar foi acusado de intermediar o acordo que deu origem ao esquema de fraude, desvio e lavagem de dinheiro na ordem de R$ 30 milhões no Detran.
A prisão foi decretada pelo desembargador José Zuquim, que determinou ainda o cumprimento de 5 mandados de prisão preventiva e 5 de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo e Brasília.
Além de Mauro Savi, foram presos preventivamente o ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, seu irmão, Pedro Zamar Taques, e os empresários Roque Anildo Reinheimer, Claudemir Pereira dos Santos, vulgo ”Grilo“ e José Kobori. Todos permanecem presos.

Fonte: Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.