Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O Corinthians fez uma boa partida na noite desta quarta-feira, sendo superior ao Colo-Colo em praticamente toda o embate. Um raro momento de desatenção da zaga, no entanto, fez com que Barrios marcasse o gol que deu a classificação aos chilenos para as quartas de final da Copa Libertadores da América. Nem mesmo os gols de Jadson, de pênalti, e Roger, construindo o 2 a 1, foram o bastante, já que o duelo em Santiago terminou 1 a 0 para o adversário.
O Alvinegro, que sofreu ainda com a arbitragem ruim de Nestor Pitana e a infantilidade de Danilo Avelar, sendo expulso nos acréscimos, com rigor não apresentado para os adversário, agora foca as suas atenções para o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, na qual está na semifinal. O próximo jogo será contra o Atlético-MG, no sábado, às 21h (de Brasília), na Arena Corinthians.
O vencedor do quente embate em Itaquera agora espera a definição do confronto entre Palmeiras e Cerro Porteño, que se enfrentam no Allianz Parque na noite desta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília). No jogo de ida, o arquirrival corintiano venceu por 2 a 0, no Paraguai, deixando bem encaminhada sua vaga nas quartas de final.
O Corinthians teve um começo de primeiro tempo muito bom na Arena, talvez o seu melhor sob o comando do técnico Osmar Loss. Intenso e disputando bastante a bola, sem exagerar nas chegadas ou cair na pilha do Colo-Colo, o time da casa não demorou a empurrar o time chileno ao seu time de defesa. O primeiro lance de perigo veio em chute de fora da área de Douglas, que mandou ao lado do gol de Orión.
O ritmo alucinante continuou na sequência da tentativa do meio-campista. Após falta sofrida por Romero na lateral da área, Jadson colocou na área e a zaga afastou. Douglas recolocou a redonda na segunda trave e Pedrinho, na tentativa de jogar para o meio da área, pegou de primeira. A bola explodiu na mão de Baeza e o juiz marcou pênalti, batido e convertido por Jadson. Orión chegou a encostar na bola, mas não impediu o tento.
O Timão, aparentemente, viu que podia resolver o placar ainda na etapa inicial e se manteve na frente. Em boa enfiada de bola de Jadson, Roger protegeu bem a chegada de Barroso e sofreu falta na entrada da área. Jadson foi para a batida e mandou no canto do goleiro, que espalmou para o lado. A partir dali, o sonho alvinegro de resolver rapidamente sua situação começou a ter seus percalços.
Até então tímido, o Colo-Colo saiu um pouco de trás e, no primeiro chute a gol, conseguiu empatar. Valdivia, com bastante espaço, acionou Pérez, com mais espaço ainda na lateral da área. O lateral cruzou bem e Barrios, entre Léo Santos e Henrique, cabeceou, mandando a bola ainda na trave antes de entrar. A partir dali, o jogo foi mais discutido e brigado do que jogado, caminhando a passos lentos, como o dos chilenos para bater laterais e faltas, para o intervalo.
O Alvinegro voltou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto do começo do segundo, com Pedrinho recebendo uma bola pela ponta direita, cortando para o pé esquerdo e chutando forte. Orión espalmou e mandou para escanteio. Jadson, na segunda tentativa do tiro de canto, mandou na primeira trave, Roger bateu e o arqueiro adversário fez linda defesa. No rebote, Léo Santos tentou finalizar, mas foi travado.
O Alvinegro mais uma vez deu uma diminuída no ritmo e viu o Colo-Colo tentar passar o tempo, principalmente trocando passes entre os seus meio-campistas, orquestrado principalmente por Valdivia. Faltou ao time chileno, no entanto, mais rapidez no ataque, já que o meia acionou duas boas enfiadas para Barrios, mas o atacante não alcançou. A penalização foi rápida: em novo escanteio, batida de Jadson e Roger, com o pé direito, fez 2 a 1.
O Timão seguiu em cima do adversário e criou diversas chances para fazer o terceiro, apostando sempre numa boa dobradinha de Pedrinho com Fagner pelo lado direito. Em uma boa investida do canhoto corintiano, a bola foi na medida para Romero testar, mas o paraguaio mandou por cima do gol.
O bombardeio corintiano seguiu até o apito final, com muitas bolas sendo alçadas na área e a maioria delas sendo vencidas pelo time da casa. Em grande noite de Orión e com uma passividade impressionante do árbitro com a “cera” do adversário, o Timão ainda completou sua sina de terminar com um a menos a partida, em expulsão de Danilo Avelar.
Fonte: Gazeta Esportiva (foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.