Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O jornal Les Echos traz nessa quarta-feira (18) uma reportagem sobre o cenário eleitoral e a paralisia econômica do Brasil. O texto começa lembrando que no dia 6 de setembro, os brasileiros assistiram com espanto à tentativa de assassinato do presidenciável Jair Bolsonaro, esfaqueado durante ato de campanha. Gravemente ferido, ele segue hospitalizado.
Poucos dias antes, o Museu Nacional do Rio de Janeiro fora totalmente destruído por um incêndio. O jornal lembra que o prédio bicentenário abrigava tesouros como o fóssil humano mais antigo das Américas, Luzia. E que enquanto o fogo se espalhava, os bombeiros descobriram que os hidrantes estavam secos.
O correspondente do diário francês em São Paulo, Thierry Ogier, explica que se os dois eventos aparentemente não têm relação entre si, eles revelam a face do desânimo e da revolta que se abatem sobre os cidadãos brasileiros, a menos de um mês das eleições presidenciais do dia 7 de outubro. Um pleito cujo resultado permanece imprevisível, enquanto a economia sofre em pleno marasmo.
Segundo Les Echos, enquanto 22% dos eleitores se dizem ainda indecisos, os demais manifestam preferência ou por um ex-militar provocativo, no topo das pesquisas antes de sofrer o atentado, ou por um ex- presidente preso por corrupção. A candidatura de Lula, contudo, foi invalidada pela justiça eleitoral, como lembra o texto.
Les Echos pergunta se a corrupção desvendada nos últimos anos e o atentado contra o candidato em campanha vão proporcionar o crescimento da extrema-direita numa das maiores democracias do mundo.
O jornal lembra que a radicalização política e a virulência das mensagens trocadas pelas redes sociais colocam em jogo a tradicional imagem do Brasil como um país cordial.
Segundo Les Echos, a radicalização também traduz a incapacidade dos sucessivos governantes de restaurarem a autoestima de 150 milhões de eleitores, que se sentem traídos por tantos casos de corrupção e pela incapacidade do governo de reencontrar o caminho para o crescimento econômico.
O diário econômico lembra que em 2015 o Brasil caiu numa das maiores recessões de todos os tempos, de onde saiu de forma dolorosa no ano passado.
Esse foi também o período dos escândalos de corrupção na Petrobras, quando bilhões de reais foram desviados da companhia petroleira, num conluio entre o partido então no poder (o de Lula, como ressalta o jornal) e grandes grupos de construção civil.
Desestabilizado, o país agora está imerso numa grave crise política. Manifestações sem precedentes antecederam o impeachment da presidente Dilma Rousseff e, mais recentemente, após a prisão de Lula, relembra o texto.
A reportagem afirma que o país virou a página de 13 anos de governo de esquerda, mas está longe de diminuir o problema da corrupção endêmica. A maioria dos partidos está sob investigação. E mesmo o presidente atual, Michel Temer, autor de reformas pró-mercado, também é alvo de investigação, ressalta o jornal. "Um verdadeiro apocalipse político, que favorece forças retrógradas, enquanto torna-se difícil elevar a confiança na economia e o entusiasmo de eleitores preocupados com o desemprego, a queda do poder de compra e a violência".
O jornal termina dizendo que, seja qual for o resultado das eleições, o próximo presidente terá como prioridade proporcionar ao Brasil um choque de confiança.
Fonte:Fr!
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.