Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A missão técnica mato-grossense esteve no Centro de Transferência de Tecnologias de Raças Zebuínas com Aptidão Leiteira da Embrapa Cerrados, em Brasília, em busca de novas técnicas para implantar em Mato Grosso e fortalecer os resultados da pecuária leiteira. Houve apresentações de  pesquisadores sobre o sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). A pesquisadora Isabel Cristina Ferreira, detalhou a produtividade e conforto térmico de bovinos leiteiros em sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta. Carlos Frederico Martins orientou sobre “manejo de pastagens e produção de leite em áreas de Integração Lavoura-Pecuária (ILP)”. O grupo também pode ver in loco as pastagens, sistema de manejo da propriedade de 300 hectares, os animais e algumas técnicas.
Na Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) assistiram palestra com o superintendente técnico, Bruno Lucchi sobre as iniciativas da entidade para o fortalecimento da atividade leiteira. A coordenadora do Projeto Mapa Leite da CNA, Luana Aguiar fez uma explanação sobre as iniciativas aplicadas em Mato Grosso
A produtora de leite de Pontes e Lacerda, Carmen de Albuquerque, disse que todos os produtores deveriam buscar mais proximidade com a entidade. “Confesso que não tinha noção da grandiosidade da CNA, não imaginava que poderia encontrar aqui soluções para grande parte dos problemas que enfrentamos da porteira para dentro. Todos os produtores deveriam vir conhecer e ver que o setor tem representatividade”, disse Carmen.
Para o diretor de Relações Institucionais da Famato, José Luiz Fidelis, a vinda até a CNA foi importante para os produtores conhecerem o que a entidade tem feito pela agropecuária brasileira. “A vinda até aqui foi importante, já que a maioria deles não conheciam. Nós, enquanto Federação falando é uma coisa e eles ouvindo do superintendente técnico da CNA e vendo os resultados das ações é outra completamente diferente. É muito salutar que conheçam aqueles que os representam”, ressaltou Fidelis.
A assessoria também informa que a produção de leite no Estado de Goiás é bastante desenvolvida. Segundo o analista de Pecuária da Famato, Marcos de Carvalho a estrutura de uma fazenda que produz leite no Goiás é muito organizada e focada na qualidade do leite e do gado. “Durante a missão nos deparamos com as mais variadas ferramentas tecnológicas desenvolvidas para a cadeia leiteira, principalmente a alimentação e o bem-estar dos animais. As vacas são alimentadas no pasto e recebem também suplementação no cocho. O cuidado com a pastagem é muito grande. A checagem do alimento é feita diariamente em todos os piquetes para garantir que não falte ração para o gado”, explica o analista.
O presidente do Sindicato Rural de Vila Bela da Santíssima Trindade, José Teixeira   destaca a importância da missão para troca de experiências e conhecimentos. “O meu objetivo, e tenho certeza que é o de todos os participantes da missão, é desenvolver a pecuária leiteira em Mato Grosso. E nosso Estado tem potencial para expandir a produção de leite. A troca de experiências e os conhecimentos adquiridos nessa missão fez toda a diferença”, apontou Teixeira.
A missão foi organizada pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). A informação é da assessoria.
Fonte:Só Notícias (foto: arquivo/Gabriel Farias)
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.