Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O delegado investigado é Edison Ricardo Pick, delegado da Polícia Civil em Colniza. Os três são alvos de uma ação do Gaeco nesta terça-feira.

Um delegado e dois investigadores tiveram a prisão decretada e foram presos nesta terça-feira (16) suspeitos de cometerem o crime de tortura em Colniza, cidade a 1.065 km de Cuiabá.

Os três são alvos de uma ação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE), nesta terça. O delegado investigado é Edison Ricardo Pick, delegado da Polícia Civil em Colniza. O nome dos investigadores não foram divulgados.

Em nota, a Corregedoria Geral da Polícia Civil informou que prestou apoio ao Gaeco. O G1 tenta localizar o advogado dele.

“A Corregedoria da Polícia Civil não teve acesso prévio ao teor da denúncia da promotoria, no entanto, deu início às diligências para apurar os fatos no âmbito administrativo disciplinar”, declarou a assessoria da Polícia Civil.

De acordo com o Gaeco, as prisões preventivas foram decretadas pelo juiz da comarca, a pedido do MPE. O Gaeco não divulgou detalhes da investigação. Apenas informou que os três são investigados por tortura.
Edison Ricardo Pick tomou posse como delegado em 2017 — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria
Edison Ricardo Pick tomou posse como delegado em 2017
Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria 


Os cumprimentos dos mandados de prisão contam com o apoio e acompanhamento da Corregedoria Geral de Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso.

O MPE informou que os três servidores passarão por audiência de custódia.

Fonte: Denise Soares, G1 MT
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.