Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Cerca de 98,5% ocorreram no Amazonas e Roraima; governo diz que há queda em novos casos


ReproduçãoO Brasil já registra 10.163 casos confirmados de sarampo desde o início deste ano até 27 de novembro, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (28) pelo Ministério da Saúde.
 
Do total de casos, 9.695 ocorreram no Amazonas e 347 em Roraima, estados que registram surto da doença.
 
Também foram confirmadas 12 mortes –quatro em Roraima, seis no Amazonas e duas no Pará.
 
Segundo o ministério, o aumento no número de confirmações ocorre devido a uma força-tarefa realizada no último mês em Manaus para avaliar resultados de exames em casos suspeitos.
 
O governo, porém, diz que o número de novos casos suspeitos tem reduzido nas últimas semanas. 
 
No Amazonas, o maior volume de casos ocorreu entre julho e agosto deste ano. Já em Roraima, o pico da doença foi entre fevereiro e abril, informa. “Em ambos os estados, no momento, a curva de novos casos é decrescente”, diz a pasta.
 
O número de casos, porém, é o maior desde 1997, quando houve 53 mil casos confirmados no país.
 
Nos anos seguintes, o país passou a registrar redução da transmissão da doença. Desde então, houve apenas surtos relacionados a uma importação do sarampo de outros países. 
 
Antes do surto deste ano, o último havia ocorrido entre 2013 e 2015, no Ceará e em Pernambuco.
 
OUTROS ESTADOS
Além de Amazonas e Roraima, que concentram 98,5% dos casos confirmados neste ano, também foram confirmados ocorrências da doença no Rio Grande do Sul (45), Pará (41), Rio de Janeiro (19), Pernambuco (4), Sergipe (4) e São Paulo (3), Rondônia (2), Bahia (2) e Distrito Federal (1).
 
Em nota, o ministério diz que "permanece acompanhando a situação nos estados" e têm feito medidas de bloqueio vacinal de casos suspeitos. Também diz ter encaminhado 14,8 milhões de doses da vacina tríplice viral para atender a demanda nestes locais.
 
Segundo o ministério, ambos os surtos em Roraima e no Amazonas são relacionados a uma importação do vírus que circula na Venezuela. Isso porque o genótipo do vírus é o D8, o mesmo que circula no país vizinho. Com isso, a pasta diz considerar o surto nestes dois locais como “importado”.
 
O mesmo ocorre nos demais estados que registram casos, onde pacientes tinham histórico de viagem a locais com surto da doença na Europa e Líbano.

Folha de São Paulo
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.