Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Foto: reprodução 
Forças de segurança negociam saída de garimpeiros em Aripuanã
Garimpo em Aripuanã
  As forças de segurança estaduais e federais estão negociando a saída dos garimpeiros que se instalaram em um garimpo ilegal na Fazenda Dardanellos, às margens da MT-208, no município de Aripuanã (a 883 quilômetros de Cuiabá). 

  Na última semana, o prefeito do município, Jonas Canarinho, se reuniu com Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Polícia Federal, Polícia Militar, Ministério Público, Representante da Cooperativa dos Produtores de Diamantes de Juína (Coooprodil), a Cooperativa de Garimpeiros de Aripuanã (COOGAR), garimpeiros e a população.

  A reunião teve como objetivo orientar e buscar uma melhor solução em relação ao garimpo ilegal. Representante da Policia Federal, juntamente com a equipe do DNPM, informou que estará intervindo no local. 
 
  O representante da COOGAR, Robson Machado, esteve presente para auxiliar a cooperativa de Aripuanã.  “Aqui tem um grande empreendimento em andamento que é benéfico para a região. Aripuanã tem tudo a ganhar com extração sendo feita pelas empresas e garimpeiros. O futuro do município é imenso se através da união da DNPM, Cooperativas e empresas, conseguirem legalizar essas áreas em forma de PLG (Permissão de Lavra Garimpeira), com cooperativa de Aripuanã”, disse. 
   
  O prefeito explicou que o objetivo é buscar um diálogo, para que se evite um confronto com os garimpeiros. “Nós falamos para os garimpeiros que não façam enfrentamento com a Polícia Federal, porque a prisão e de um a cinco anos. Eu, como prefeito, tenho obrigação de orientar, buscar o diálogo. Mas também a gente não pode impedir se eles chegarem com uma operação na semana que vem. Vai prender muita gente. Não quero que isso aconteça”, disse o chefe do Executivo Municipal.

  Em entrevista recente, Jonas disse que o local trouxe pessoas de vários Estados e até países, como Peru e Suriname. No entanto, somente cerca de 10% conseguiu algum tipo de ouro e muitos garimpeiros acabaram deixando a fazenda.
 
Garimpos ilegais

  Este não é o primeiro garimpo ilegal do município. Em julho de 2017, ao menos 21 pessoas foram presas por atuação na exploração de minérios em uma área de garimpo clandestino.

  Os presos foram flagrados explorando a área localizada a 18 km da cidade, onde aproximadamente 10 alqueires de floresta amazônica foram devastados sem qualquer avaliação de impacto ambiental. Os garimpeiros reviraram o solo e subsolo à procura de metais preciosos.
 
  O prefeito disse que o município possui muitos tipos de minérios, a ausência do Governo, porém, obriga as pessoas que não tem oportunidade ou não possuem escolaridade a trabalhar nestes locais de maneira ilegal. 
 
  "Na verdade lá tem muito ouro, muito minério. Automaticamente aquelas pessoas ali, que estão à procura, acham ouro fácil e automaticamente eles vão para cima. “Tem muitos garimpeiros da década de 80, que estão desamparados, não tem nenhuma área registrada em nome deles, o Governo nunca deu um tipo de apoio para eles, nunca acharam uma área equivalente para eles fazerem um trabalho mais rudimentar ou financiar alguma linha de crédito para que eles consigam fazer o registro e trabalhar no sistema industrial. A ausência do Governo é o que acaba obrigando essas pessoas que não tem escolaridade, uma formação acadêmica, uma oportunidade, acabam sendo atraídos para um lugar desses. Inclusive, não só no município, mas em todo Brasil”, finalizou.

Fonte:Olhar direto
Marcadores: ,

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.