Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O título do Fortaleza na Série B do Campeonato Brasileiro foi adiado. E o “culpado” pela festa bonita montada pela torcida do Leão do Pici ter sido estragada foi o CSA. Aos 36 minutos do segundo tempo, o atacante da equipe alagoana, Hugo Cabral, marcou gol de peito e deu números finais à partida entre as equipes, selando o empate em 1 a 1 na Arena Castelão e impedindo que o time de Rogério Ceni fosse campeão da segunda divisão nesta terça-feira. O embate foi válido pela 35ª rodada da competição nacional.
O tento anterior do duelo havia sido marcado por Dodô, aos 35 minutos da etapa inicial, após lindo lançamento do defensor Diego Jussani. Com o resultado, o Leão do Pici chegou aos 65 pontos conquistados na tabela de classificação e, com três rodadas a serem disputadas pela disputa, ainda pode ser alcançado pelo segundo colocado, que é justamente o CSA, já que a equipe alagoana tem 58 pontos.
Com o gosto amargo do empate, o técnico Rogério Ceni não pôde ainda garantir o primeiro título oficial de sua carreira na função, que começou em 2017, pelo São Paulo. O ídolo do Tricolor já havia conquistado a Florida Cup, no ano passado, mas o torneio de pré-temporada tem caráter amistoso.
Na próxima rodada, o Fortaleza vai até a Ressacada para encarar o Avaí, às 17h30 (horário de Brasília) do sábado. Por outro lado, o CSA, ainda na luta pelo acesso e pelo título, receberá o Atlético-GO no Estádio Rei Pelé, no mesmo dia, mas às 17h00.
Com cerca de 47 mil pessoas presentes na Arena Castelão, o principal duelo desta edição da Série B do Campeonato Brasileiro começou mais na base da dedicação do que da técnica. Sem a criação de grandes e claras oportunidades de gol, Fortaleza e CSA se prendiam às suas estratégias de jogo: a equipe de Rogério Ceni ficava com a bola no pé, enquanto os alagoanos deixavam os rivais terem a posse e se propunham ao contra-ataque.
Aos 35 minutos de partida, no entanto, o panorama do embate mudou. Diego Jussani fez lançamento primordial do terço defensivo e encontrou Dodô, que matou a bola no peito com categoria, completou o domínio e bateu cruzado, no alto, sem chances para o goleiro Lucas Frigeri: 1 a 0.
Após o tento, novamente os ânimos do duelo voltaram a se acalmar. Nervoso, o CSA bem que tentava, mas só finalizou em chute de longe de Rubens. O Fortaleza, por outro lado, tentava não deixar a ansiedade pelo título tomar conta.
Na volta do intervalo, o time da casa voltou com mais energia do que o adversário. Aos quatro minutos de etapa, Dodô recebeu pela lateral e viu a aproximação de Marcinho, tocando rasteiro em direção ao atacante. O jogador bateu na bola com categoria, de chapa e tirando do alcance de Lucas Frigeri, mas a bola foi para fora, assustando os visitantes.
Sete minutos depois, enfim o CSA criou a primeira chance real de tento no embate. Após confusão na área, Rubens tentou encobrir Marcelo Boeck, mas acertou o travessão. No rebote, o ataque do CSA não conseguiu aproveitar e a defesa do Fortaleza afastou o perigo.
A oportunidade permitiu que o CSA passasse a gostar do jogo. Pouco depois, Neto Berola, que entrou no lugar de Matheus Lopes, cruzou bola para o atacante Hugo Cabral. O camisa 11, no entanto, não conseguiu finalizar como gostaria e desperdiçou a chance do empate.
Nervoso, o Fortaleza tinha problemas em administrar o resultado. Passando a sofrer a pressão e sufoco rival, o time de Rogério Ceni viu os adversários chegaram com perigo mais uma vez: após bate e rebate na área, Hugo Cabral caiu ao chão no chute, e Marcelo Boeck impediu que a bola, passando lentamente através da linha, pudesse entrar para o próprio gol.
Aos 36 da etapa final, o Leão do Pici cedeu. Após cobrança de escanteio de Pio para a área, Jhon Cley desviou de cabeça para o meio e encontrou Hugo Cabral. O atacante, praticamente a um metro do gol, completou de peito para as metas vazias de Marcelo Boeck e decretou o empate: 1 a 1 e números finais à partida.
Fonte: Gazeta Esportiva (foto: assessoria)

Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.