Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT


A Justiça acatou pedido liminar efetuado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso e determinou a indisponibilidade de bens do prefeito de Colniza, Celso Leite Garcia, no montante de R$ 718 mil. A medida busca garantir o pagamento de multa civil, caso o gestor seja condenado nos autos de uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta pela Promotoria de Justiça do município. O prefeito é acusado de promover contratação irregular de servidores temporários, de forma reiterada e em desobediência à decisão judicial.

Consta na ação, que somente este ano, o município de Colniza efetuou a contratação de 160 servidores temporários, mesmo com decisão liminar proibindo a realização de contratações de prestação de serviços relacionados à atividade-fim da Administração sem a realização de concurso público. A lista inclui servidores de apoio administrativo educacional, auxiliar de serviços gerais, motorista de veículo pesado, professores de nível médio e superior e técnico auxiliar de desenvolvimento infantil.

O promotor de Justiça Aldo Kawamura Almeida explica que após tomar conhecimento das contratações irregulares peticionou ao Poder Judiciário informando sobre o descumprimento da decisão. No dia 04 de junho, a Justiça intimou o prefeito determinando a rescisão dos contratos temporários, bem como a convocação dos candidatos aprovados em concurso público.

“Na ocasião, o réu informou a relação de contratos temporários rescindidos em setembro, sendo 60 na área da educação, 20 na área de saúde e 10 na área de infraestrutura. Ressalte-se que em razão da falta de planejamento e ser praxe a contratação de temporários, o gestor público informou que no mês de agosto de 2018 contratou temporariamente 7 motoristas de veículo pesado, um enfermeiro, ou seja, para serviço rotineiro, sem qualquer demonstração de excepcional interesse temporário”, relatou o promotor de Justiça.

Fonte: DN Noticias com Assessoria 
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.