Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A senadora Selma Arruda (PSL) disse que vai esperar que seus advogados tomem conhecimento do relatório final da Procuradoria Eleitoral do Ministério Público Federal que pede a sua cassação, para só então se manifestar a respeito. Até lá, ela continua com a agenda de trabalho sem alteração e hoje divulgou que faz sua primeira reunião na Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Ela se manifestou pela assessoria.
Conforme Só Notícias já informou, o MPF requereu, ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a cassação da diplomação da senadora Selma Arruda, eleita pela Coligação “Segue em Frente Mato Grosso”, e de seus suplentes. Além da perda do mandato, pede ainda a aplicação de sanção de inelegibilidade e, como consequência, que sejam realizadas novas eleições para o preenchimento de uma vaga de senador em Mato Grosso.
Além disso, o MP Eleitoral também requereu o reconhecimento da arrecadação e gastos ilícitos de recursos, combinados com a prática de abuso de poder econômico. Os requerimentos foram realizados nas alegações finais protocoladas ontem no Tribunal Regional Eleitoral, em ação de investigação judicial eleitoral.
De acordo com a PRE, restou apurado no processo que integrantes da chapa da candidata Selma Arruda abusaram de poder econômico, assim como praticaram caixa 2 de campanha ao contraírem despesas de natureza tipicamente eleitoral no valor de R$ 1,2 milhão, quitadas com recursos de origem clandestina, que não transitaram regularmente pela conta bancária oficial.
Por fim, requereu novas eleições para o cargo pois, “aventar a posse do terceiro colocado nas eleições representaria atropelar a vontade popular e violar o regime democrático amparado pela Constituição Federal”.
O relatório do MPF não é de todo desconhecido da senadora, pois encaminhamentos semelhantes já haviam sido dados parcialmente. Selma Arruda sempre negou que tenha praticado Caixa 2 e disse que os gastos foram realizados fora do período de campanha, para o que, segundo ela, não há limite de valores estipulados nem proibição legal.
 
Fonte: Só Notícias/Marco Stamm (foto: arquivo/Alair Ribeiro)
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.