Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre
Foto:Ednilson Aguiar/ O LivreA Polícia Civil registrou na quarta-feira (20) mais um caso de ameaça de ataque a uma escola da rede estadual. Este é o quarto em menos de uma semana. Desta vez, conforme a delegada Anaíde Barros, um grupo de adolescentes planejava jogar bombas em salas de aula.
A unidade de ensino, cujo nome não foi divulgado, fica no bairro Tijucal e a primeira de Cuiabá a ser alvo de ameaças. A exemplo de outros casos já registrados, os adolescentes discutiam o suposto ataque por meio do aplicativo WhatsApp. 
A intenção deles, segundo a delegada, era distrair o professor para que o explosivo pudesse ser lançado.  “Iam soltar as bombas dentro das salas de aula, com os alunos dentro, para ferir mesmo”, disse, pontuando que a polícia já tem cópia das mensagens trocadas.
Conforme Anaide Barros, todos os adolescentes já foram identificados e seus responsáveis serão chamados para prestar esclarecimentos. Ela avalia que até o fim da semana o caso deve ser encerrado pela Polícia Civil e encaminhado à Promotoria de Defesa da Infância e Juventude, do Ministério Público Estadual (MP).

Quatro em uma semana

Os primeiros registros de ameaças a escolas em Mato Grosso ocorreram no início da semana. Na segunda-feira (18), um adolescente de 17 anos foi ouvido em Cáceres (220 km de Cuiabá) e uma jovem, de 19 anos, depôs em Várzea Grande (Região Metropolitana).
O rapaz foi o responsável por criar um grupo de WhatsApp com 18 membros, entre eles 14 estudantes, no qual surgiram ameaças à Escola Estadual União e Força. No depoimento, ele se disse arrependido.
Já a garota é suspeita de ter enviado áudios em um grupo chamado “Massacre MT”. Nas mensagens, ela dizia que comandaria um ataque às escolas estaduais Jaime Veríssimo de Campos Júnior e Marlene Marques, ambas em Várzea Grande.
Na terça-feira (19), um jovem de 18 anos foi preso pela Polícia Militar também sob a acusação de fazer ameaças via mensagens de áudio. O alvo do ataque seria a Escola Estadual Honório Rodrigues de Amorim, localizada no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande.
Na manhã do dia seguinte – quinta-feira (21) –, a diretora da mesma unidade de ensino registrou boletim de ocorrência por conta de uma bomba de efeito sonoro jogada no pátio da escola. Nenhum aluno ficou ferido e não houve dano ao patrimônio.


Fonte:  O Livre
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.