Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O governo de Mato Grosso autorizou a licença de instalação (LI) do Projeto Aripuanã, uma mina que vai produzir concentrados de zinco, cobre e chumbo. A liberação garante um investimento da ordem de US$ 392 milhões de dólares (aproximadamente R$ 1,5 bilhão na cotação atual), por parte da mineradora Nexa Resources, na construção de uma planta industrial. Ao todo, até 2,5 mil empregos devem ser gerados.
A Licença de Instalação autoriza as obras de terraplanagem e construção civil, montagem metalomecânica, abertura da mina subterrânea, pilha de material estéril, depósito de rejeitos e adutora de captação de água. A produção média anual está prevista em 66.7 mil toneladas de zinco, 23 mil toneladas de chumbo e 3.7 mil toneladas de cobre.
Na fase de construção serão 1.600 empregos e, na operação, 750 vagas. No segundo semestre inicia o 1º Ciclo de Desenvolvimento Profissional, em Aripuanã, a primeira de um conjunto de iniciativas da Nexa para capacitar e valorizar a mão-de-obra local.
O CEO da Nexa, Tito Martins, comentou que “o Projeto Aripuanã contribui para o desenvolvimento da indústria mineral no Mato Grosso e fortalece a posição da Nexa Resources como uma das cinco maiores produtoras mundiais de zinco, liderando a produção do minério na América Latina. Nossa expectativa é que em 2021 possamos iniciar as operações”.
“Buscamos incorporar ao Projeto Aripuanã o que há de mais moderno em tecnologia e excelência operacional”, destacou o vice-presidente de desenvolvimento e execução de projetos da Nexa, Valdecir Botassini. Como exemplos, ele descreveu que a opção por uma mina subterrânea vai reduzir a área desmatada e que o projeto tem como meta reutilizar 100% da água, além do depósito de rejeitos dispensar o uso de barragens, pois está planejada uma pilha a seco.
O presidente do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), Gustavo de Oliveira, disse que “Mato Grosso tem muito a ganhar com esse empreendimento, especialmente os 150 mil habitantes da região Noroeste. A geração de centenas de postos de trabalho, a qualificação dos profissionais que ocuparão esses postos, toda a movimentação no comércio local que o empreendimento vai gerar são motores para o desenvolvimento da região. Tudo isso sem descuidar do necessário compromisso com a sustentabilidade, monitorando constantemente os aspectos sociais e ambientais: esse é o processo de industrialização que a Fiemt defende, pois somente o fortalecimento do setor industrial será capaz de impulsionar a geração de riquezas”.
Mineração e desenvolvimento
Zinco, cobre e chumbo, principais produtos do Projeto Aripuanã, tem vários usos na economia e no cotidiano das pessoas. São empregados nas indústrias automobilística, farmacêutica, eletroeletrônicos e na agricultura. Na lavoura, o zinco é um dos micronutrientes essenciais para o desenvolvimento das plantas. E também é utilizado na produção de pneus, aços, fertilizantes, cosméticos e pilhas. Já o cobre se faz presente através do ar-condicionado, fios elétricos e celulares. O chumbo é utilizado na fabricação de bateria, tintas e esmaltes. Conforme a Organização Mundial da Saúde, a falta de zinco na alimentação afeta o sistema imunológico, responsável pelas defesas do corpo humano.
Perfil Projeto Aripuanã
Localização: Serra do Expedito, situada a 25 km de Aripuanã
Produção média anual: 66.7 mil toneladas de zinco, 23 mil toneladas de chumbo e 3.7 mil toneladas de cobre
Investimento previsto: US$ 392 milhões de dólares
Vida útil da mina: mínima de 13 anos, considerando apenas as reservas minerais
Empregos: 1.600 na construção e 750 próprios e 240 terceiros durante a operação
Sobre a Nexa
A Nexa Resources é uma produtora de zinco com mais de 60 anos de experiência no desenvolvimento e operação de ativos de mineração e metalurgia na América Latina. A empresa possui cinco minas subterrâneas, três localizadas nos Andes centrais do Peru e duas localizadas no estado de Minas Gerais no Brasil. Duas das minas da Companhia, Cerro Lindo, no Peru, e Vazante, no Brasil, estão entre as 12 maiores minas de zinco do mundo.
Nexa, novo nome da Votorantim Metais, quer conhecer perfil de trabalhadores da região para projeto de mineração
A Nexa, novo nome da Votorantim Metais, iniciou nesta semana uma pesquisa em parceria com o SINE (Serviço Nacional do Emprego) para estudar o perfil dos trabalhadores de Aripuanã. A pesquisa é fundamental para a empresa entender as capacidades e as carências dos futuros candidatos que poderiam atuar na implantação e operação da mina de zinco. Além disso, a empresa também quer receber currículos. Interessados devem procurar o posto do SINE para preenchimento dos formulários e entrega de currículos.
Com essas duas iniciativas será possível, por exemplo, elaborar um futuro Programa de Capacitação de Mão-de-Obra, visando ao maior aproveitamento possível dos trabalhadores locais para futuras vagas de emprego.
“Este será um estudo preparatório, que reafirma nosso compromisso em valorizar a mão-de-obra dos profissionais de Aripuanã. Entender as habilidades e as necessidades do mercado de trabalho local é parte da nossa preparação para gerar empregos definitivos na futura mina de zinco”, afirma Marcelo Costa, gerente geral do projeto.
O Projeto Aripuanã prevê a lavra e beneficiamento dos minérios zinco, cobre e chumbo, com previsão de início de operação para o final de 2020.
Currículos também podem ser registrados no site do projeto, pelo endereço www.projetoaripuana.com.br, na seção “Contato”.
A empresa mantém o compromisso de informar a comunidade assim que as vagas de emprego forem abertas.
Fonte: O Petróleo
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.