Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Nesta quinta-feira, Mauricio Galiotte, presidente do Palmeiras, visitou a sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro e se reuniu com a Comissão de Arbitragem da CBF para discutir o uso do VAR. Dentre os vários temas debatidos com Leonardo Gaciba, presidente da Comissão, o cartola falou sobre a evolução do uso da ferramenta e os critérios adotados.
Desde domingo, o clube reclama da anulação do gol de Bruno Henrique, no final do empate em 1 a 1 contra o Internacional. O presidente alviverde, então, apresentou material sobre tal caso.
Na conversa, Gaciba admitiu que a decisão tomada pelo árbitro após consultar o vídeo foi errada.
Galiotte pediu e ouviu o áudio da comunicação entre os árbitros no momento da jogada. Os responsáveis pela partida entenderam que, pelo toque na mão de Willian, o lance deveria ser uma falta para o Inter. Entretanto, a bola era do Palmeiras por conta de uma carga de Klaus sobre o adversário na origem da jogada.
Inclusive, Gaciba admitiu que o lance fez a regra merecer maior reflexão, e com isso a CBF enviou o vídeo para análise da Fifa. Atualmente, é recomendado que qualquer toque na mão de um jogador que está atacando seja interpretada como falta.
Além desse, outros casos foram apresentados para entender como certos critérios são adotados.
Vice-líder do Brasileirão, o Palmeiras recebe o Atlético-MG no domingo, às 16h. O Flamengo, líder, tem três pontos a mais que a equipe de Mano Menezes.
Fonte: ESPN.com.br

Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.