Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Alta Floresta e oito cidades de MT terão iluminação pública renovada
O resultado da segunda chamada pública 2019 para o Programa de Eficiência Energética (PEE) já saiu e a Energisa Mato Grosso investirá cerca R$ 12 milhões em 19 propostas aprovadas que buscam o uso consciente de energia elétrica. A previsão é que as ações comecem a ser executadas em 2020.
Nesta edição, a maior parte dos projetos são voltados para a iluminação pública, ao todo nove. Os municípios de Tangará da Serra, Nobres, Campo Verde, Cuiabá, Nova Mutum, Diamantino, Jauru, Alta Floresta e Nova Lacerda terão lâmpadas da iluminação pública substituídas por outras unidades mais eficientes. O total de investimentos realizados nessas cidades será de aproximadamente R$ 7 milhões.
A Universidade Federal também será uma entidade agraciada pelo projeto, serão implantados equipamentos e ações que visam eficiência energética nos campos de Rondonópolis, Araguaia e Cuiabá, R$ 1,8 milhão serão investidos. Foram ainda aprovados projetos: Promotoria de Justiça do Estado de Mato Grosso; Ginásio Aecim Tocantins; Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso; Escola Presidente Médici e Escola CEJA Antonio Cesário, Adalgisa de Barros e Heliodoro.
Segundo a analista de inovação da equipe de Eficiência Energética, Monique Gomes Pereira, a distribuidora de energia recebeu 51 propostas de projetos, destes 19 foram classificados na segunda fase.
"Os projetos são analisados a partir de diversos critérios técnicos e recebem uma pontuação. O que mais impacta, no processo decisório é a relação custo-benefício do projeto. O investimento do PEE nas unidades proporciona uma redução na conta de luz, além disso, estimula empresas e órgãos públicos a desenvolver uma relação mais consciente com o consumo de energia", afirma.
MODALIDADES – O Programa de Eficiência Energética da Energisa reúne duas modalidades de contrato. Uma delas é a fundo perdido, em que o consumidor não precisa devolver para a Energisa o valor investido para implantação do projeto. "Esta modalidade é restrita a projetos do poder público, de iluminação pública, serviços públicos - desde que não haja participação de capital majoritariamente privado -, áreas comuns de condomínios residenciais, instituições filantrópicas e assistenciais", explica Monique.
A outra modalidade é por contrato de desempenho, em que o cliente repassa para a distribuidora o valor desembolsado para implantação do projeto, de forma gradativa e sem juros. "Após a conclusão do projeto, o consumidor devolve mensalmente os valores investidos pela distribuidora de forma proporcional ao resultado obtido", afirma.
PEE – O programa existe em Mato Grosso desde 1998 e tem objetivo proporcionar redução do consumo de energia, de unidades públicas e privadas, por meio de ações e projetos que visam a otimização das instalações elétricas, com foco na redução do consumo de energia elétrica. Além disso, o Programa inclui ainda ações educacionais de consumo. Anualmente a Aneel determina que todas as distribuidoras invistam um percentual, da sua Receita Operacional Líquida, em ações que reduzam a demanda de energia.
Fonte: Assessoria
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.