Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

O Flamengo estreou no Mundial de Clubes com uma vitória por 3 a 1 sobre o Al-Hilal da Arábia Saudita, nesta terça-feira. O Rubro-Negro carioca está classificado para a final do próximo sábado diante do vencedor do duelo entre Liverpool, da Inglaterra, e o Monterrey, do México, que se enfrentam nesta quarta-feira.
Salem Al-Dawsari abriu o placar aos 17 do primeiro tempo. O Flamengo só conseguiu reagir na segunda etapa. Arrascaeta empatou aos 3, Bruno Henrique virou aos 32 e Al-Bulayhi marcou contra aos 36.
O primeiro tempo do Flamengo foi terrível. Só o prejuízo é que acabou controlado e a equipe brasileira foi para o vestiário perdendo de apenas 1 a 0. Após os instantes iniciais em que as duas equipes se estudaram, o Al-Hilal passou a marcar a saída de bol do Fla e não deixou os brasileiros jogarem.
Visivelmente nervoso e sem conseguir imprimir seu jogo, o Flamengo cometeu muitos erros e sucumbiu diante da velocidade e da melhor organização em campo da equipe árabe. Compacta e aproveitando-se da instabilidade brasileira, o Al-Hilal dominou o jogo nos primeiros 45 minutos.
O Flamengo, entretanto, foi o primeiro a ter uma chance real de marcar. Escanteio cobrado pela esquerda e o goleiro saiu de soco. A bola sobrou na meia lua para Gerson, que bateu de primeira de canhota e a bola passou muito perto da trave direita.
O Al-Hilal respondeu no minuto seguinte. Carrillo fez fila pelo meio e tocou na esquerda para Al-Dawsari, que entrou na área, se livrou de Rodrigo Caio e bateu para o gol. Diego Alves espalmou para o meio e, da marca do pênalti e com o gol vazio, Gomis não conseguiu bater bem na bola e isolou.
A defesa rubro-negra voltou a falhar aos 17 e a equipe da Arábia Saudita abriu o placar. Trocando passes sem ser incomodado, Giovinco abriu na direita para Alshahrani completamente livre. O lateral tocou rasteiro de primeira para o meio e, também livre no meio da área, Salem Al-Dawsari bateu para o gol. A bola desviou levemente em Pablo Marí e tirou Diego Alves da jogada.
Após o gol, o Flamengo tentou ir para cima do Al-Hilal, mas os comandados de Razvan Lucescu estavam muito concentrados na marcação e ainda se utilizavam da cera e da instabilidade emocional do adversário.
O volume de jogo Rubro-Negro aumentou, mas só chegou perto aos 29 em jogada de Arrascaeta e Bruno Henrique. O uruguaio enfiou em profundidade para o atacante, que entrou na área e finalizou de direita, mas o lateral AlBurayk fez o corte e evitou o empate.
Segundo tempo – Reação e virada
Na volta do intervalo, o Flamengo foi outra equipe em campo. Mais intenso e equilibrado, o Rubro-Negro levou apenas três minutos para chegar ao empate, em bela troca de passes.
Da linha lateral pela direita, Rafinha tocou para Gabigol próximo da área. O artilheiro viu um espaço na área e enfiou para Bruno Henrique penetrar sozinho, e ele cruzou com precisão para Arrascaeta do outro lado. A bola passou por todo mundo e o uruguaio tocou para o gol vazio.
O Al-Hilal sentiu o golpe e o Fla criou boas jogadas nos minutos seguintes, mas não teve chances claras de virar o jogo.
O confronto ficou equilibrado, com o Flamengo ainda em nível abaixo do que era esperado e os Árabes mais cautelosos. O jogo foi ficando tenso e Jorge Jesus decidiu mexer aos 28. O experiente Diego entrou no lugar de Gerson, que não fazia boa partida, e deu uma dinâmica melhor ao meio de campo brasileiro.
Aos 28, o camisa dez deu belo passe para a escapada de Rafinha pela direita e o lateral cruzou com precisão na cabeça de Bruno Henrique, que entrava pelo meio da zaga e estufou a rede.
Quatro minutos depois, o terceiro gol também nasceu dos pés de Diego, que enfiou na área para Bruno Henrique. O atacante foi ao fundo em velocidade e cruzou visando Gabigol na pequena área. A bola passou pelo goleiro e o zagueiro AlBulayhi marcou contra ao tentar o corte. Com 3 a 1 no placar, o Al-Hilal se descontrolou e teve Carrillo expulso aos 37 por entrada violenta em Arrascaeta.
O Flamengo passou a controlar o jogo e soube segurar o adversário, que chegou perto do segundo aos 44 em chute cruzado do brasileiro Carlos Eduardo que Diego Alves defendeu.
Gazeta Esportiva (foto: assessoria)
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.