Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

A secretaria estadual de Agricultura Familiar (Seaf) formalizou com as prefeituras de Alta Floresta, Colniza, Juína e Rondolândia (região Noroeste) o repasse de R$ 574 mil em convênios para a aquisição e produção de 300 mil mudas de cacau clonal para a implantação de 210 Unidades Demonstrativas e beneficiará também Aripuanã, Brasnorte, Carlinda, Castanheira, Colniza, Cotriguaçu, Juína, Juruena, Nova Monte Verde, Novo Mundo, Paranaíta e Terra Nova do Norte, considerados os principais produtores de cacau no Estado.

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) atuará na seleção dos produtores beneficiários e no acompanhamento técnico das atividades. O programa também prevê a disponibilidade de veículos para assistência técnica aos produtores, capacitação de técnicos, treinamento de produtores, e apoio na realização de eventos como dias de campo, feiras, exposições, seminários e intercâmbios.

Um acordo de cooperação técnica foi assinado entre o governo de Mato Grosso e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), para a execução conjunta de projetos voltados ao desenvolvimento, revitalização e transferência de tecnologia para o fortalecimento da cacauicultura em Mato Grosso.

O IBGE aponta Mato Grosso ocupou, em 2018,  a 6ª posição no ranking nacional entre os nove estados produtores da amêndoa. A área plantada é de 950 hectares com a produção de 647 toneladas de cacau. Os números representam a soma das áreas plantadas em 12 municípios do Estado, com destaque para Colniza, Alta Floresta e Cotriguaçu, que despontam como os principais produtores.  Mato Grosso responde por 0,25% da produção nacional de cacau, e ocupa 0,16% da área total brasileira. A produtividade média atingiu a casa de 615 quilos por hectare. Uma média significativa, se comparada a produtividade da Bahia, principal produtor nacional com 271kg/hectare, seguido pelo Pará com 853 kg/ha.

No acordo está previsto que todo material genético utilizado pelo Programa Mato Grosso Produtivo – Cacau, incluindo sementes e hastes para produção das mudas, será disponibilizado pela Ceplac. Vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o órgão se tornou referência internacional na geração e transferência de tecnologia voltada ao aprimoramento da produção cacaueira no Brasil.

Mato Grosso está empenhado em diversificar o número de espécies perenes cultivadas no Estado, mirando na sustentabilidade ambiental e geração de renda ao agricultor. A estratégia é garantir o aumento da produtividade com o uso de cultivares mais produtivos. Em outros estados, as lavouras de cacau surgiram como complemento à renda familiar, e hoje se tornaram a principal fonte de renda dos produtores, exatamente pelo alto valor agregado da amêndoa.

A legislação ambiental respalda o produtor sobre o uso do cacau para a recuperação de áreas degradadas e na recomposição florestal em áreas de reserva legal. O cacau é uma das principais espécies tropicais encontradas na região Amazônica, sendo o principal bioma formador das regiões Norte e Noroeste de Mato Grosso.



Fonte: Só Notícias (foto: assessoria)
Marcadores: , ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.