Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Enquanto as atenções se voltam ao novo coronavírus (Covid-19), que tem o maior número de casos em São Paulo, as notificações de dengue explodem em Mato Grosso. 
Somente nas 10 primeiras semanas deste ano, foram registrados 11.127 casos da doença, o que representa um aumento de 301% se comparado ao mesmo período de 2018, quando ocorreram 2.775 notificações.
Duas mortes por dengue foram confirmadas e uma segue em investigação. 
O Estado apresenta alto risco de contaminação de dengue com incidência de 332,7 casos por 100 mil habitantes.
Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá) é município com índices mais preocupantes. lá, já foram contabilizados 1.744 casos (1.283,5 ocorrências/100 mil pessoas) agora em 2020 contra 321, no ano passado, o que corresponde a um aumento é de 443,3%. Já em Cuiabá e Várzea Grande, a situação é apontada como de baixo perigo.  
Na capital, são 145 casos (24,6/100 mil hab.) de dengue neste ano, um aumento de 28,3% se comparado ao período anterior. 
Na cidade vizinha de Várzea Grande, são 32 registros, o que representa uma queda de 40,7%. Já Rondonópolis (210 quilômetros, ao sul de Cuiabá), apresenta médio risco com 489 notificações, uma variação de 757,9% se comparado as mesmas semanas de 2019, quando ocorreram 57 registros.  
ZIKA E CHIKUNGUNYA – Quanto a zika e a chikungunya, outras doenças também provocadas pelo mosquito Aedes aegypti, Mato Grosso apresenta baixo risco de infecção.
Nas 10 primeiras semanas deste ano, foram registrados 147 casos de zika, o que corresponde a um incremento de 83,8%, em relação ao mesmo espaço de tempo em 2018 (80 casos). Situação semelhante ocorre em relação a chikungunya são 325 (75,7%) agora em 2020.
No ano passado, foram 185 registros da doença no mesmo período. Contudo, uma morte provocada pelo agravo é investigada no Estado.   
Em seu boletim epidemiológico, a Ses reforça a importância da mobilização social para o combate às doenças transmitidas pelo Aedes. Lembra ainda que, no mês de outubro, a falta de saneamento básico e dos cuidados domiciliares, consequentemente provocam o aumento dos números de criadouros do mosquito.
“Com isso, ocorre a necessidade do alerta para aumentar a atenção e os cuidados com essas doenças transmitidas por este vetor”, reforça.  
Conforme o órgão estadual, no período não epidêmico, “as ações de mobilização, comunicação e educação em saúde são fundamentais para a mudança de comportamento e adoção de práticas para a manutenção do ambiente domiciliar com a eliminação dos criadouros preservando a infestação por Aedes”. E, a principal ação que a população tem é se informar, conscientizar e evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular, em qualquer época do ano.  
Algumas das medidas de prevenção e combate ao mosquito são manter caixas d’agua bem fechadas; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; acondicionar pneus em locais cobertos; fazer sempre manutenção de piscinas; colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento; e não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas. 
Fonte:  Joanice de Deus/Diário de Cuiabá
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.