Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Wellington FagundesO senador Wellington Fagundes (PL) descarta o impeachment do presidente da República Jair Bolsonaro como saída para a crise política e econômica causada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Afirma que o momento é de diálogo em prol da unidade nacional.
“Como parlamentar, participei de dois impeachments, dos ex-presidentes (Fernando) Collor e Dilma Rousseff. São processos traumáticos, demorados e com consequências muito grandes para o país. Mas o presidente Bolsonaro precisa moderar seus posicionamentos”, ponderou Wellington, em videoconferência com jornalistas de Mato Grosso, na tarde desta quinta (26).
Wellington, que é líder do Bloco Vanguarda (que agrega nove senadores do PL, DEM e PSC), lembra que Bolsonaro foi eleito pela posição ideológica forte e por ir para o confronto contra os adversários. No entanto, acredita que a postura não é adequada para enfrentar uma crise da dimensão da provocada pela Covid-19.

Temos que dar força para o presidente da República, mas ele precisa moderar também

Wellington Fagundes
“O que sustenta o governo na democracia é a aprovação popular. O presidente  Bolsonaro foi eleito com perspectiva de mudança. A posição ideológica vem sempre muito forte, antes da administrativa. Não creio que seja o melhor caminho. No momento de crise, excesso não é bom. Temos que agir com bom senso. É preciso do equilíbrio”, completou.
Ocorre que em cadeia nacional de Rádio e TV, Bolsonaro retomou o tom agressivo que parecia ter abandonado recentemente, defendeu reabertura do comércio e das escolas. Além disso, voltou a criticar governadores pelo que chama de política de “terra arrasada”.
“Temos que dar força para o presidente da República, mas ele precisa moderar também. Os governadores que querem ser candidatos em 2022 não podem fazer politicagem. Não é hora de vaidade nem de pensar em eleições”, concluiu.
Mesmo sem citar nomes, Wellington se refere aos governadores de São Paulo João Doria (PSDB) e do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC). Ambos fazem oposição sistemática e  vivem em confronto com Bolsonaro.

Fonte:Jacques Gosch/RD News
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.