Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Proposta é realizar primeiro turno dia 15 de novembro e o segundo, para início de dezembro

DivulgaçãoCom o avanço da pandemia do novo coronavírus, a Câmara e o Senado tentarão adiar as eleições municipais, marcadas para outubro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avisou, porém, que a ideia é evitar a prorrogação de mandatos de prefeitos e vereadores.
 
"Na discussão com os líderes, é posição quase de unanimidade que devemos ter adiamento, mas sem prorrogação de nenhum mandato", afirmou Maia, nesta terça-feira, 19. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), foi na mesma linha. "Temos acompanhado, nos últimos dias, essa aflição dos brasileiros em relação ao problema de saúde pública e, naturalmente, a preocupação com a democracia", observou Alcolumbre, ao relatar conversas com Dias
 
Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e com o ministro Luis Roberto Barroso, que está prestes a assumir o comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
 
Uma das propostas que já circula entre os parlamentares é a de adiar o primeiro turno das eleições para 15 de novembro e deixar a segunda rodada para o início de dezembro. Agora, Câmara e o Senado devem criar um grupo de trabalho, com deputados e senadores, para estudar a mudança de calendário eleitoral.
 
Na avaliação do líder do Cidadania, deputado Arnaldo Jardim (SP), tudo indica que o atual cronograma terá problemas, uma vez que, além das datas das votações, partidos e candidatos precisam cumprir exigências antes de outubro. "Não vamos prorrogar mandatos. A ideia é jogar a data para frente", observou Jardim.
 
Uma das propostas que já circula entre os parlamentares é a de adiar o primeiro turno das eleições para 15 de novembro e deixar a segunda rodada para o início de dezembro. Agora, Câmara e o Senado devem criar um grupo de trabalho, com deputados e senadores, para estudar a mudança de calendário eleitoral.
 
Na avaliação do líder do Cidadania, deputado Arnaldo Jardim (SP), tudo indica que o atual cronograma terá problemas, uma vez que, além das datas das votações, partidos e candidatos precisam cumprir exigências antes de outubro. "Não vamos prorrogar mandatos. A ideia é jogar a data para frente", observou Jardim.
 
"O meu desejo é não adiar. Mas é inegável que neste momento, olhando para a frente, há uma possibilidade real de isso ser necessário", afirmou Barroso em entrevista ao Estadão, no início deste mês.
 
Em março, Maia não admitia o adiamento da disputa. "A discussão de adiar as eleições é completamente equivocada. Nestes próximos meses, o foco do Parlamento, do Poder Executivo e do Judiciário será, certamente, o enfrentamento dessa crise, com os Três Poderes trabalhando de forma unida", disse o presidente da Câmara, na época.

 Fonte: TERRA NOTICIAS
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.