Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT

Acordo põe fim a conflito em Aripuanã e garante área para uso de garimpeiros
O conflito entre garimpeiros e a mineradora Nexa para exploração mineral em Aripuanã, região Noroeste de Mato Grosso, chegou ao fim. O entendimento foi firmado nesta segunda-feira, 16, entre a Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros, com Governo do Estado, Agência Nacional de Mineração, e a empresa, e teve o senador Wellington Fagundes (PL-MT), líder do Bloco Parlamentar Vanguarda, como um dos principais interlocutores.
“Lutamos por essa pacificação porque entendemos ser fundamental a exploração do potencial mineral de Mato Grosso, que é muito pequeno comparado a sua capacidade, mas também sem deixar de olhar para a questão social, que é umito importante” – disse Fagundes.
O conflito se iniciou em 2018 envolve a exploração de ouro no município e se intensificou no ano passado, quando uma operação conjunta da Polícia Federal, Polícia Militar, Ibama e Secretaria de Estado do Meio Ambiente, em cumprimento a mandado de desocupação de área, resultou na destruição do acampamento dos garimpeiros, queima de maquinários e a morte de um garimpeiro.
No local – uma área de 2,8 mil hectares na Serra do Expedito – que fica a 25 km de Aripuanã, a empresa Nexa Resources, que faz parte do Grupo Votorantim, está investindo 2 bilhões de reais para exploração de zinco, chumbo, cobre, ouro e prata.
Mas a notícia da existência de metais preciosos na região atraiu milhares de garimpeiros, que iniciaram uma exploração ilegal e estabeleceram uma disputa pela área. Na semana passada, centenas deles chegaram a impedir a passagem de representantes da empresa Nexa pela ponte sobre o rio Aripuanã.
Sob a coordenação da Assessoria de Resolução de Conflitos da Diretoria Colegiada da ANM, foi realizada uma reunião em Aripuanã com os garimpeiros organizados na Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros da Região de Aripuanã, com a participação do prefeito Jonas Canarinho, vereadores, representantes da Associação Mato-grossense dos Municípios, Companhia Matogrossense de Mineração(Metamat)  e Gerência Regional da Agência Nacional de Mineração (ANM), porém sem a participação da Nexa.
O gerente regional da ANM, Roberto Vargas, relata que o assunto esteve sob a condução da Assessoria de resolução de conflitos da ANM-Brasília e na segunda-feira realizou-se uma reunião por vídeo conferência quando foi dado um passo decisivo na direção da conciliação entre a empresa Nexa e os garimpeiros, com a elaboração de uma proposta de conciliação.
A Mineradora decidiu ceder uma área de 516 hectares para que os garimpeiros possam trabalhar legalmente através da Cooperativa e extrair ouro em lavras mais superficiais. “Com o acordo de conciliação concluído haverá ”, diz o geavanço importante na exploração mineral na região” – frisou o gerente da ANM.
“Muitas famílias, bem como o comércio local sobrevivem dessa atividade. Estamos aqui como cidadãos! Não para fazer baderna e nem ofender ninguém. Somos mais de dois mil garimpeiros em busca do direito de garantir o pão nosso de cada dia”, disse o presidente da cooperativa.
Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.